11.12.2015

Advento: Preparar a luta consigo próprio

Advento: Preparar a luta consigo próprio

Jesus diz que a vinda do Filho do homem será «como foi nos dias de Noé». Mas que dias foram os de Noé? Eis a resposta: «Nos dias que precederam o dilúvio, comia-se, bebia-se, os homens casavam e as mulheres eram dadas em casamento» (Mateus 24, 37-39). Não se deram conta do que estava a acontecer, e toda uma geração foi destruída. Alimentar-se e reproduzir-se: quando se reduz a vida humana só a isto, é-se esmagado pela própria vida que se faz. Comer e unir-se sexualmente sem dar conta de nada é próprio dos animais, não dos seres humanos.

 

A carta escrita na prisão por Rosa Luxemburgo sobre a alegria do Natal

A carta escrita na prisão por Rosa Luxemburgo sobre a alegria do Natal

Era o terceiro Natal que a filósofa e sindicalista passava na prisão. Procura uma árvore de Natal para si, mas não consegue encontrar melhor do que um arbusto mísero e despido, que ainda assim transporta para a própria cela. E isto leva-a a interrogar-se sobre a «alegre embriaguez» que conseguia conservar naquele inferno, naquela irredutível espécie de confiança que nela persistia, a despeito do desconforto e da desolação.

 

Leitura: “Um mapa para pensar a religião”

Leitura:

Este programa para pensar a religião visa superar um tríplice enviesamento provocado, recorrentemente, pelas definições de religião: o «efeito cogumelo», no qual a religião aparece como conjunto de enunciados, sem a consideração das posições sociais que definem o campo religioso; o «efeito máscara», que reduz a religião à ilusão, a fé à má-fé, e a crença aos dispositivos que transformam os atos de dominação em leis naturais; o «efeito espelho», que faz da religião o próprio sentido coletivo do grupo.

 

Dar é a lei da vida: Meditação sobre o Evangelho do 3.º Domingo do Advento

Dar é a lei da vida: Meditação sobre o Evangelho do 3.º Domingo do Advento

Aquele que se alimenta do nada que oferece o deserto, gafanhotos e mel selvagem, responde: «Quem tem de comer dê a quem não tem». Na engrenagem do mundo, João lança um verbo forte, «dar». O primeiro verbo de um futuro novo. O profeta sabe que Deus se encarna através do respeito e da veneração por todos os seres humanos, como energia que liberta das sombras do medo que nos envelhecem o coração. O amor renova, o medo paralisa, rouba o melhor da vida.

 

Leitura: “Sacra Pagina – Manuscritos iluminados do século XIII nas coleções portuguesas” | IMAGENS |

Leitura:

O autor está convicto de que o estudo e divulgação destes manuscritos «assume particular importância no domínio da História da Arte, com especial enfoque na produção artística do século XIII e, em concreto, na produção de manuscritos iluminados, mas é também fundamental para o conhecimento da história do cânone bíblico, das novas formas e contextos de leitura, novos modos de difusão e receção dos textos e da própria reflexão teológica».

 

Exposição: “Terra e Céu – Peregrinos e santos de Fátima” | IMAGENS |

Exposição:

No primeiro núcleo, “Cristo, princípio e fim do caminho”, o Batismo é evocado como o princípio do itinerário cristão, através de uma pia batismal, velas batismais e o primeiro livro de registos de batismos no santuário da Cova da Iria. O primeiro dos sacramentos é diariamente recordado em Fátima com a presença de velas que os peregrinos utilizam nas procissões. Conheça as restantes cinco secções da exposição.

 

Agenda para hoje

Agenda para hoje


Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura | Secretariado Nacional dos Bens Culturais | Secretariado Nacional das Comunicações Sociais
Anúncios