10.12.2015

Exposição: “Álvaro Siza – Página Sagrada”, desenhos de episódios das vidas de S. Pedro e S. Paulo | IMAGENS |

Exposição:

A Galeria João Esteves de Oliveira, em Lisboa, apresenta até 7 de janeiro a exposição “Álvaro Siza – Página Sagrada”, composta por 43 desenhos de episódios das vidas de S. Pedro e S. Paulo, realizados em 2007. Os trabalhos, grafite sobre folhas A3, integraram a série dos que o arquiteto desenhou para os painéis de azulejos que revestem as paredes do plano subterrâneo da basílica da Santíssima Trindade, em Fátima.

 

«É ingénuo» crer que Ano da Misericórdia mude o mundo? Sim, mas loucura de Deus é mais sábia que os homens | VÍDEO |

«É ingénuo» crer que Ano da Misericórdia mude o mundo? Sim, mas loucura de Deus é mais sábia que os homens

O papa Francisco explicou, na audiência geral realizada no Vaticano, os motivos que o levaram a decidir instituir o Ano da Misericórdia:«Este Jubileu, em suma, é um momento privilegiado para que a Igreja aprenda a escolher unicamente “o que a Deus mais agrada”. E o que é que “a Deus mais agrada”? Perdoar os seus filhos, ter misericórdia deles, de modo que também eles possam, por sua vez, perdoar os irmãos, resplandecendo como archotes da misericórdia de Deus no mundo. Isto é o que a Deus mais agrada!»

 

O Jubileu e o perdão do aborto: O testemunho de uma mãe

O Jubileu e o perdão do aborto: O testemunho de uma mãe

Uma particularidade do Jubileu é o envio, a cada diocese do mundo, de 800 “missionários da misericórdia”, a quem o papa dá a faculdade de perdoar os pecados reservados à Santa Sé. Mas Francisco fez mais. Ao longo do Ano Santo da Misericórdia, que termina a 20 de novembro de 2016, todos os sacerdotes podem perdoar o aborto, pecado cuja absolvição é reservada aos bispos ou a padres por eles delegados. Um sinal para convidar ao arrependimento e ao pedido de perdão, outro elemento-chave do Jubileu.

 

Cinema: “No coração do mar” | VÍDEOS |

Cinema:

«O meu filme foca-se nas ambições pessoais de duas personagens que se defrontam, o capitão da baleeira e o seu primeiro oficial, sobre uma transformação e uma progressiva tomada de consciência até à descoberta da verdade sobre si próprio, após um duro confronto com a natureza, que tomou a forma de um grandioso animal», explicou o cineasta, vencedor de quatro Óscares por “Uma mente brilhante”, incluindo para melhor filme e melhor realizador.

 

Agenda para hoje

Agenda para hoje


 

Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura | Secretariado Nacional dos Bens Culturais | Secretariado Nacional das Comunicações Sociais
Anúncios