É novo » 18.6.2015

Leitura: “Óscar Romero – O amor deve triunfar”
«Uma Igreja que não provoca crises, um Evangelho que não incomoda, uma Palavra de Deus que não sacode ninguém, uma Palavra de Deus que não toca no pecado real da sociedade em que é proclamado: que Evangelho é esse?», perguntou ele. Romero, porém, compreendia que a sua missão pastoral não se limitava apenas a ver as vítimas e a «recolher os corpos». A sua função era muito mais complicada. Ele desafiava-se repetidas vezes a si próprio a converter pessoas que tinham chegado a idolatrar aquilo a que ele chamava «o misticismo da violência».

Refugiados: um mundo à parte e parte do mundo
Uma cidade longa, 300 mil pessoas que passavam de uns para os outros a palavra mágica. «Tomorrow.» Era o destino e a esperança. Amanhã, sempre amanhã. O dia da distribuição, o dia do regresso a casa, o fim da guerra, a sementeira dos campos agora abandonados, uma vida diferente. O que se deixou está perdido e o futuro é amanhã. Permanece o presente, que nunca se sabe de que lado está.

Universidade Católica lança curso de verão sobre “Liberdade de expressão e liberdade religiosa”
«Na sequência da Segunda Guerra Mundial, foi possível pensar a noção de um mundo sem conflitos, mormente os originados por razões de tipo ideológico ou religioso. Nada de mais errado. Os últimos setenta anos revelaram-se a antítese concreta de tal intento». Atualmente, «os conflitos alicerçados sobre questões culturais fundamentais como a religião e a liberdade de pensamento estão presentes por todo o globo», pelo que «é chegado o momento de repensar muitas das categorias tradicionais nos âmbitos do religioso e da liberdade de expressão.» Conheça o programa.

Arte e espiritualidade: O coração de Cristo | IMAGENS |
O divino infante está sentado com um hábito cinzento, gasto, sinal daquele lençol que o envolve na última hora e aqui tingido de cinza da morte. Parece adormecido, e a esta interpretação nos dirige o título: Jesus Menino com o coração em chamas, ferido de amor, “Ego dormio et cor meum vigilat”. Sim, eu durmo mas o meu coração vigia: as palavras da esposa do Cântico dos Cânticos são postas aqui na boca do esposo, Cristo, que, no sono da morte, vigia sobre todas as nossas feridas.

A morte traz dor e pode causar revolta, mas nunca tem a última palavra, sublinha papa
«Há aquela pergunta: “Onde está o papá? Onde está a mamã?”… Esta pergunta que cobre uma angústia no coração do menino ou da menina. Fica só. O vazio do abandono que se abre dentro dele é tanto mais angustiante pelo facto de nem sequer ter a experiência suficiente para “dar um nome” ao que aconteceu. “Quando é que o papá volta? Quando é que a mamã volta?”. O que é que se responde? E a criança sofre.»

Missa dedicada ao papa Francisco, por Ennio Morricone | VÍDEO |
Missa Papae Francisci. Anno duecentesimo a Societate Restituta. Orquestra: Roma Sinfonietta; co
ro: Accademia di Santa Cecilia, Opera di Roma. Igreja do Santíssimo Nome de Jesus, Roma, 11.6.2015. 

Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura | Secretariado Nacional dos Bens Culturais | Secretariado Nacional das Comunicações Sociais

Anúncios