É novo » 11.2.2015

Se queres encontrar Deus, põe-te a caminho, arrisca, e esquece sofá, computador e enciclopédias
«Quem não se mete a caminho nunca conhecerá as imagens de Deus, nunca encontrará o rosto de Deus. Os cristãos sentados, os cristãos quietos não conhecerão o rosto de Deus: não o conhecem.» «Pôr-se a caminho é deixar que Deus ou a vida nos meta à prova, pôr-se a caminho é arriscar.»

Dia Mundial do Doente: «Para chegarmos à sabedoria do coração» (Sl 90,12)
Num tempo em que não temos tempo, recorda-nos o Papa Francisco, que «o tempo gasto junto do doente é um tempo santo», seguindo Jesus que está no meio de nós como aquele que serve (cf. Lc 22,27). “Sair”. “Estar”. Por tudo isto e, sobretudo pelos doentes que conhece, que apoia, que visita, de quem cuida, tanto quanto depende de si, procure que o seu agir corresponda a este apelo.

«Há mais mistérios entre Saramago e Deus do que possamos prever»
Se a literatura de Saramago pode ser interpretada como lugar teológico, é à luz da «antiteodiceia», da «desteologização», de uma «antiépica de Deus», acompanhados pela «crítica sistemática», o «distanciamento» e a «paródia». Saramago exercita, ainda que de modo «abrasivo e extremo», a «purificação da linguagem religiosa», ao passo que «os crentes sabem que a sua linguagem é insuficiente para nomear o divino, quando não inadequada».

Questões de fé para quem crê e não crê: O cristão precisa do Antigo Testamento?
Admiro o esforço dos teólogos cristãos para valorizar o Antigo Testamento; compreendo a existência de uma tradição da Igreja que propôs aos seus fiéis ler as Escrituras bíblicas na liturgia, interpretando-as à luz do Novo Testamento. Algumas páginas são extraordinariamente nobres a nível literário, outras valem igualmente para nós, cristãos (como os Salmos ou alguns livros proféticos), mas sejamos honestos: o Evangelho não é suficiente para nós, cristãos?

Leitura: “Autobiografia” de Santo Inácio de Loiola
Começa o texto: «Até aos 26 anos foi homem entregue às vaidades do mundo e principalmente se deleitava no exercício das armas e vão desejo de ganhar honra». E termina: «O método que tinha para redigir as Constituições era dizer missa cada dia, apresentar a Deus o ponto que tratava e fazer oração sobre ele. E sempre fazia a oração e dizia missa com lágrimas». Leia um excerto.

Pregação «não é um sermão sobre um tema abstrato»: Vaticano apresenta diretório sobre homilias
A homilia «não é um sermão sobre um tema abstrato» nem «uma ocasião, para o pregador, de tratar argumentos completamente desligados da celebração litúrgica e das suas leituras, ou para fazer violência aos textos previstos pela Igreja, contorcendo-os para os adaptar a uma ideia pré-concebida», não é «um puro exercício de exegese bíblica», «não deve ser empregada como tempo de testemunho pessoal do pregador», não deve reduzir-se a um carácter «puramente moralista ou doutrinante».

Arte e literatura debatem “O sentido etéreo da matéria e a face espiritual da palavra”
O colóquio propõe «um percurso pela linha de fronteira entre a pintura e a poesia, a fim de que cada uma destas áreas se defina pela diferença, ou se amplie na periferia das cumplicidades estabelecidas.» «O trabalho de pintura em exposição busca na modelação da sua matéria azul, concretizar o corpo metafísico do sublime. A literatura monástica serve da tangibilidade das palavras, como quem estende uma ponte para um desconhecido que se deixou intuir.»

Bento XVI renunciou ao pontificado há dois anos
Perante uma assembleia de cardeais atónitos, pois eram certamente muito poucos os que tinham conhecimento do anúncio que estava prestes a ser feito, no fim do consistório, Bento XVI, o antigo cardeal Joseph Ratzinger, comunicava a sua decisão de renunciar ao Papado.

Agenda para hoje

Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura | Secretariado Nacional dos Bens Culturais | Secretariado Nacional das Comunicações Sociais

 

Anúncios