É novo » 17.1.2015

Que procuras? Vem e vê: Meditação sobre o Evangelho do 2.º Domingo do Tempo Comum
Jesus, mestre do desejo, faz entender que nos falta alguma coisa, uma ausência que queima. O que te falta? Falta saúde, alegria, dinheiro, tempo para viver, amor, sentido da vida? Alguma coisa falta, e é por causa deste vazio por preencher que cada filho pródigo percorre novamente o caminho para casa. A ausência torna-se a nossa energia vital.

Família: Oração, atitude, profecia
As famílias sempre terão as suas provações, não precisam que lhes junteis mais! Pelo contrário, sede exemplos de amor, perdão e solicitude. Sede santuários de respeito pela vida, proclamando a sacralidade de toda a vida humana desde a conceção até à morte natural. Que grande dom seria isto para a sociedade: cada família cristã viver plenamente a sua nobre vocação!

Padre Abel Varzim, «volta, por favor, à nossa Igreja» | VÍDEO |
O Padre Abel Varzim deu um belo testemunho da Igreja que Jesus quer. Damos graças a Deus por isso. Tudo quanto fez, foi exigência da sua fé, do Evangelho que foi o grande inspirador da sua vida, por isso, e sem exagero, o P. Abel Varzim é o verdadeiro retrato do Evangelho.

Ou amor ou violência
O que constitui a perfeição própria do ser humano não é a “necessidade de fazer o bem”, que o reduziria a uma mera sequência mecânica da ação divina, como uma pedra, mas a sua constituição como “ser ético”, isto é, como “ser capaz de escolher entre bens possíveis”.

Siza Vieira participa em colóquio sobre arte e liturgia: Num edifício amo a luz, a penumbra e também a obscuridade
O arquiteto Álvaro Siza Vieira e o padre Joaquim Félix de Carvalho são dois dos participantes no 13.º colóquio litúrgico internacional organizado pelo Mosteiro de Bose, em Itália, e o Departamento para os Bens Culturais do episcopado transalpino. “Num edifício amo a luz, a penumbra e também a obscuridade” é o título do diálogo que o criador da igreja de Santa Maria, em Marco de Canaveses, terá com o jornalista italiano Giovanni Gazzaneo.

Francisco pede profecia, solidariedade e pobreza na Igreja, e apela a resistir a «ataques» que desfiguram a cultura
Como poderemos proclamar aos outros a novidade e o poder libertador da cruz, se nós mesmos não permitirmos que a Palavra de Deus abale o comprazimento em nós próprios, o nosso medo de mudar, os nossos comprometimentos mesquinhos com as modalidades deste mundo, o nosso mundanismo espiritual?

Papa sublinha que sociedade tem o dever de «quebrar as cadeias da injustiça» que geram «escandalosas desigualdades»
O papa Francisco lembrou, em Manila, que «a grande tradição bíblica prescreve para todos os povos o dever de ouvir a voz dos pobres e quebrar as cadeias da injustiça e da opressão, que dão origem a óbvias e verdadeiramente escandalosas desigualdades sociais». «Agora, mais do que nunca, é necessário que os dirigentes políticos se distingam por honestidade, integridade e responsabilidade quanto ao bem comum.»

Agenda para hoje

Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura | Secretariado Nacional dos Bens Culturais | Secretariado Nacional das Comunicações Sociais

 

Anúncios