É novo » 8.1.2015

Papa Francisco: «Hoje há muita necessidade de beleza»
Deus certamente é verdadeiro, Deus certamente é bom, Deus certamente sabe fazer as coisas, criou o mundo, mas sobretudo Deus é belo. A beleza de Deus. Muitas vezes esquecemo-nos da beleza. A humanidade pensa, sente, faz, mas hoje há muita necessidade de beleza. Não esqueçamos isto!

Teresa de Saldanha: «Exemplo raro de persistência de fé e obras»
Em Lisboa nada existia, nesse tempo, de comunidades religiosas dedica das à vida ativa; nem Hospitaleiras, nem Doroteias; as Irmãs de Caridade francesas tinham sido expulsas; portanto, a falta tão grande de uma congregação que se dedicasse ao serviço dos pobres e educação de crianças fez-me desejar imenso trabalhar para realizar o meu sonho, o que assim parecia nesse tempo semelhante plano, pelas dificuldades que se julgavam invencíveis.

Papa Francisco entoa hino de louvor às mães e recorda Oscar Romero
Cada pessoa humana deve a vida a uma mãe, e quase sempre deve a ela muito da própria existência que se segue ao nascimento, da formação humana e espiritual. A mãe, todavia, apesar de ser muito exaltada do ponto de vista simbólico (…), é pouco ouvida e pouco ajudada na vida quotidiana, pouco considerada no seu papel central na sociedade. Assim, muitas vezes aproveita-se a disponibilidade das mães para se sacrificarem pelos filhos para “poupar” nas despesas sociais.

Um dia negro
Mesmo que não partilhemos as posições do “Charlie Hebdo”, é preciso saudar a coragem da redação por ter, por vezes – é verdade – com excesso, denunciado as injustiças, troçado, caricaturado, demonstrado os abusos,… Fizeram avançar o mundo. Ceder às ameaças e ao terrorismo, exercer a autocensura, seria a melhor vitória para aqueles que cometeram o inominável nesta sombria quarta-feira.

Massacre no “Charlie-Hebdo”: Resposta passa por mostrar convicção na sociedade democrática e na convivência
A opção de atingir um jornal, o seu diretor, os seus redatores, aqueles que com várias funções permitiam a sua realização, e quem o defendia como protetor da ordem, deve inquietar, se tal é possível, ainda mais. A liberdade de expressão não significa licença para ofender, mas permanece uma das conquistas e baluartes fundamentais da nossa civilização cristã e liberal. Hoje, na mira dos fanáticos, qualquer que seja a sua inspiração homicida e totalitária, esteve o “Charlie Hebdo”. Amanhã poderá ser a vez de outros meios de comunicação.

Papa Francisco exprime «firme condenação» pelo atentado em Paris
O papa exprimiu «a mais firme condenação» pelo «horrível atentado» que ocorreu hoje em Paris, dentro e fora da redação do jornal satírico “Charles Hebdo”, revelou o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé. Qualquer que seja a motivação, prossegue a nota do gabinete de imprensa, «a violência homicida é abominável, nunca é justificável, a vida e a dignidade de todos sejam garantidas e protegidas decididamente, toda a instigação ao ódio seja rejeitada, seja cultivado o respeito pelo outro».

Aulas de Religião Católica devem ser «cultura», e não «catecismo»
O prelado expressou esta convicção na carta que dirigiu a pais e estudantes, enquanto arcebispo de Génova, com vista à matrícula, no próximo ano, nas aulas da disciplina que em Portugal tem como equivalente a Educação Moral e Religiosa Católica. A formação deve centrar-se «na exposição da história e da doutrina cristã», ao mesmo tempo que tem como foco os «grandes temas do homem e da vida».

Agenda para hoje

 

Anúncios