Sophia de Mello Breyner foi poeta da luz à procura da Luz, considera patriarca de Lisboa

«Luz surpreendente, intensa demais para olhos quaisquer, anterior ainda a quem a buscasse, interior, até, para quem não pudesse enxergá-la»: assim é a luz divina que Sophia de Mello Breyner procurou, afirmou esta quarta-feira o patriarca de Lisboa. As palavras de D. Manuel Clemente foram proferidas na missa celebrada na Capela do Rato, na capital, durante as cerimónias de trasladação da poeta para o Panteão Nacional. Continuar a ler…

Mais artigos sobre Sophia

Senhor, como estás longe e oculto e presente
«A paz sem vencedores e sem vencidos», de Sophia de Mello Breyner, por Maria Barroso, na Capela do Rato [ Vídeo ]
Sophia de Mello Breyner lida por D. Manuel Clemente: O cristianismo é uma religião de pescadores, barca e mar
Sophia de Mello Breyner: Poesia e realidade
Sophia de Mello Breyner: O homem
Sophia de Mello Breyner: «Mais justiça para os pobres e menos ambições para os ricos. O resto é-me indiferente»
Poemas de Sophia de Mello Breyner por Luísa Cruz [ Vídeo ]
Talvez Sophia não gostasse de ir para o Panteão, diz Miguel de Sousa Tavares
Evocação de Sophia
A casa de Deus
Sophia, uma devoção intensa
Sophia de Mello Breyner: Missa na Capela do Rato marca trasladação para o Panteão Nacional

Anúncios