A Ausência do Corpo: Lourdes Castro e a “Sombra Deitada”

A obra de Lourdes Castro, na primeira fase dedicada aos objetos a aos recortes, define uma longa reflexão sobre o problema da sombra na pintura. Sombra, ambiguidade, eco, vazio, desmaterialização, temas igualmente desenvolvidos por Jorge Martins, Ana Vieira, Noronha da Costa e Cruz Filipe. Em 1968, Lourdes de Castro começou a bordar sobre lençóis contornos de sombras, tendo abandonado totalmente o suporte de parede para passar a fazer algo muito mais relacionado com o quotidiano, investindo em objetos que questionavam o estatuto moral e metafísico da obra de arte.  Continuar a ler…

Anúncios