Fernando Ulrich afirma que «mercado» não chega para resolver desemprego, elogia portugueses e critica papa

O presidente do banco BPI afirmou hoje em Fátima, na 10.ª Jornada Nacional da Pastoral da Cultura, que é preciso mais «voluntarismo» para atenuar a «grande chaga» do desemprego, porque o «mercado» não chega para essa tarefa. Depois de salientar que o emprego «tem de ser partilhado», Fernando Ulrich lamentou a falta de entendimento em Portugal sobre a falta de trabalho: «Choca-me que sendo este o problema mais grave que o país tem, nunca nos sentamos à mesa para encontrar soluções, porque o mercado não chega. Temos de ser voluntaristas». Referindo-se à austeridade, o responsável disse que não encontra alternativas substancialmente diferentes daquelas que o Governo decidiu: «Foi muito duro para muita gente, mas não sei como é que, na globalidade, se podia fazer de maneira diferente»: «Fosse qual fosse o primeiro-ministro, teria feito exatamente a mesma coisa, com um outro ajustamento». Na mesa redonda com Marçal Grilo, intitulada “O estado da arte da nossa Democracia”, o bancário disse que compreendia as posições do papa quanto à economia, mas preferia que os apelos do papa fossem mais mobilizadores do que denunciadores. Continuar a ler…

Anúncios