Ler espiritualidade

Optar por abrir um livro de espiritualidade é, antes de mais, experimentar uma certa curiosidade. É pressentir que a fé, a oração e o espírito se alimentam e que o coração pode beber de outras fontes. Muitas vezes os santos deixaram textos e há numerosos escritores que exploraram a dimensão espiritual da existência. Longe de oferecer uma leitura piedosa, distante, a expressão espiritual coloca o leitor em sobressalto, toca-o intimamente, questiona-o. E hoje há uma variedade abundante, com diversos estilos. «As pessoas não sabem o que procuram, mas vêm porque têm necessidade de ser alimentadas», explica uma livreira de Paris. Uma necessidade que pode ser causada por duas situações bem diferentes, mas que conduzem sempre à vida espiritual. Há os casos em que a fé é vivida com simplicidade, regularmente, e nasce o desejo de aprofundar a oração, a leitura da Bíblia, o conhecimento de Cristo. Ou então sucede uma provação que vem perturbar a vida interior; face à doença, a dificuldades de relação, ao luto, o livro pode tornar-se um espaço de respiração, de conforto, de repouso. Continuar a ler…

Anúncios