Caminhos de futuro numa idade sénior

Os caminhos de futuro são vitais para todos nós, como o desafio-de-cada-dia a que se impõe responder. Cito um curto texto de Simone Weil que diz, de forma luminosa (e com “metáforas biológicas”), o que eu penso: «O futuro não nos traz nada, não nos dá nada; somos nós que para o construir deve-mos dar-lhe tudo, dar-lhe a nossa própria vida. Mas para dar é preciso possuir e nós não possuímos outra vida, outra seiva, senão os tesouros herdados do passado e digeridos, assimi-lados, recriados por nós». Por outras palavras, o nosso futuro constrói-se em todos os tempos, que são sempre “recomeços” a partir do que vivemos antes, e importa ter atitudes criativas quanto às situações, mais propícias ou mais difíceis, com que nos enfrentamos. As eventuais limitações de todo o tipo, bem como os momentos de sofrimento ou de desânimo, também fazem parte do percurso, não justificando a passividade ou a desistência nem pondo em causa a esperança. Continuar a ler…

Anúncios