Os ensinamentos de Jesus sobre a oração (2/2)

A oração requer perseverança, continuidade. Várias vezes Jesus – seguido por Paulo – pediu a oração sem interrupção. Ora, perguntemo-nos com honestidade: como é possível viver, trabalhar, descansar, dormir, encontrar os outros, e ao mesmo tempo orar continuamente? É preciso entender as palavras. Orar sempre não significa empenhar-se em repetir continuamente fórmulas ou invocações, mas viver uma existência marcada por aquilo que os Padres da Igreja chamavam memoria Dei, a recordação constante de Deus: «Oração incessante quer dizer ter a mente dirigida a Deus com grande fervor e amor, permanecer sempre suspenso pela esperança que temos nele, confiando nele em qualquer coisa que façamos e em qualquer coisa que nos aconteça» (Máximo o Confessor). Por outras palavras, trata-se de reconhecer que o Deus vivo opera constantemente na nossa existência e na história; trata-se de lutar para estar sempre consciente da presença de Deus em nós, ou seja, da comunhão que Ele nos dá, para que a acolhamos e a partilhemos com todos os nossos irmãos e irmãs. Continuar a ler…

Anúncios