Leitura: “O bom papa João”

«O Papa, que teve de valorizar o consenso eclesial para superar as resistências encontradas pelas suas iniciativas de renovamento, tinha posto em movimento um fenómeno de proporções planetárias. A sua piedosa morte foi voluntariamente transformada em ato público pelo povo, na ânsia de sancionar que nada podia ser disperso daquilo que, com ele, cada homem e a Igreja tinham encontrado. A harmoniosa fusão de virtudes privadas e públicas culminou naquele Pentecostes, em que os indivíduos e a Igreja tiveram uma ocasião histórica para se compreenderem em profundidade, para intuírem a direção na qual a humanidade está a mover-se. Aquela morte é património da Igreja, do Concílio e da humanidade: na singular coincidência de sacrifício de um justo que era simultaneamente chefe e mestre.» O livro “O bom papa João”, de Giuseppe Alberigo, apresenta-se como uma biografia de João XXIII (1881-1963) «redigida por um dos maiores estudiosos da sua figura e a partir do espólio epistolar disponibilizado, no início dos anos 90, aquando da instauração do processo da sua canonização». Da obra recentemente lançada pela Paulinas Editora apresentamos um excerto do último capítulo, «Um cristão Santo e Papa», seguido do índice. Continuar a ler…

Anúncios