Com as crianças não se brinca

Sinto-me interpelado a tomar a meu cargo todo o mal que alguns sacerdotes – bastantes, bastantes em número, não em comparação com a totalidade – a tomar a meu cargo e a pedir perdão do dano que fizeram pelos abusos sexuais das crianças. A Igreja está consciente deste dano, que é um dano pessoal, moral deles, mas homens de Igreja. E não vamos dar um passo atrás no que se refere ao tratamento destes problemas e das sanções que se devem colocar; pelo contrário, creio que devemos ser muito fortes, com as crianças não se brinca. Nos nossos dias, é importante levar adiante os projectos contra o trabalho escravo, contra o recrutamento de crianças soldados e qualquer tipo de violência sobre os menores. Dito de forma positiva, é preciso reafirmar o direito das crianças a crescer numa família, com um pai e uma mãe capazes de criar um ambiente idóneo para o seu desenvolvimento e amadurecimento afetivo. Continuar a amadurecer em relação, em confronto, com o que é a masculinidade e a feminilidade de um pai e de uma mãe, e assim construindo o seu amadurecimento afetivo. Continuar a ler…

Anúncios