É novo » 28.3.2014

Leitura: “Onde estás, Senhor?”
Referência à parte merece também o «paraíso» do amor celebrado pelo Cântico dos Cânticos: «Os teus rebentos», diz o amado à sua mulher, «são um paraíso (pardes) de romãzeiras com frutos deliciosos: alfenas e nardos, nardo e açafrão, canela e cinamomo, com toda a espécie de árvores de incenso, mirra e aloés, com todos os aromas mais preciosos» (Ct 4,13-14). A imagem situa-se no interior de uma estrofe poética (Ct 4,12-5,1), em que predomina o simbolismo do jardim irrigado e rico de uma vegetação luxuriante. Desenvolve-se um diálogo entre Ele e Ela, os dois protagonistas do poema bíblico. Em primeiro lugar, o enamorado canta a beleza da sua mulher e, nas suas palavras, predomina a imagem do jardim irrigado por uma nascente e cheio de vegetação, um símbolo aliás clássico na poesia amorosa. A comparação desenrola-se num crescendo que, no final, transforma o canto do esposo num dueto com a es posa. O jardim está ligado a uma fonte e ambos estão selados, fechados aos estranhos (cf. Ct 4,12). Este tema, alusão bastante clara à castidade da mulher, à sua fidelidade, à exclusividade da posse recíproca dos dois enamorados, também está presente em muitos textos egípcios antigos.

Mistérios da Quaresma e Páscoa em Idanha-a-Nova preservam religiosidade popular cristã | IMAGENS |
O município de Idanha-a-Nova, no interior centro de Portugal, junto à fronteira com Espanha, publicou a agenda dos Mistérios da Páscoa, com a qual se pretende «promover a divulgação das inúmeras e variadas manifestações quaresmais e pascais que ocorrem ao ar livre ou no espaço sagrado». A publicação, que abrange as 17 freguesias da autarquia, visa «valorizar e estimular todos os que se empenham em continuar a preservar e a viver com amor e devoção» tradições «que são património cultural imaterial das comunidades e representam um fator de vitalidade comunitária», sublinha o presidente da Câmara, Armindo Jacinto. «Não é um teatro que se monta. As pessoas participam nos rituais com devoção, cantam as tradições que os seus antepassados lhes legaram. E isso é muito importante numa época de grande globalização – segurarmo-nos a algo que nos dá identidade», vincou o coordenador do projeto e historiador António Catana. A edição deste ano, com mais de 250 celebrações e devoções (cf. “Ligações e contactos”) é dedicada ao tema “As Procissões Corridas e a dos Passos em Alcafozes”, organizadas pela Irmandade da Santa Casa da Misericórdia local durante as sextas-feiras da Quaresma, exceto na Semana Santa.

Leitura: “Voltas que a vida dá”
Das histórias aparentemente simples nascem oportunidades que mudam rumos. De que doença adoeceu aos 18 anos, em concreto, é muito pouco importante detalhar. O que interessa é que disso decorreu o imprevisível, dir-se-ia o impossível – uma viragem para onde ninguém podia imaginar, nem ela mesma; um sonho que se veio a concretizar, mas que, se nada tivesse acontecido, nunca teria passado de sonho. É frequente acharmos, neste mundo de tão fácil acesso, que já se sabe quase tudo, até o que previsivelmente seremos e para onde iremos caminhar. O inesperado, por sê-lo, apanha-nos sempre desprevenidos e, no que de nós depende, podemos chegar a ser impotentes para o defrontar, mas nunca pensamos nisso. Parece impossível que alguém ainda esteja sujeito a este tipo de «súbitos» difíceis de diagnosticar e compreender, sobretudo naquela idade. Agora no casal: há momentos em que as conversas profundas são uma espécie de viagem de carrossel – sabem muito bem, mas não servem para nada. Não perdem tempo a dar lugar a medos. Esta parece ser a grande chave capaz de abrir a porta da felicidade que conquistam todos os dias.

«É uma grande honra para mim. Sou um seu grande admirador», disse Obama a papa Francisco
O papa recebeu esta quinta-feira o presidente dos EUA, Barack Obama, que manifestou a Francisco o seu contentamento pelo encontro: «É uma grande honra para mim. Sou um seu grande admirador. Obrigado por me ter recebido», disse, citado pelo site “Vatican Insider”. Em entrevista publicada no jornal italiano “Corriere della Sera”, Barack Obama sublinhou que não está de acordo com todas as intervenções de Francisco mas elogiou a sua coerência entre teoria e prática: «Ele não se limita a proclamar o Evangelho: ele vive-o». «Quando o papa fala, as suas palavras têm um peso enorme», frisou o presidente norte-americano, acrescentando que se sente inspirado pelo empenho demonstrado por Francisco pela «justiça social», a par da sua «mensagem de amor e compaixão pelas pessoas», especialmente pelas «mais pobres e vulneráveis». O encontro de 50 minutos decorreu após a missa a que o papa Francisco presidiu, com a participação de quase três centenas de deputados e 176 senadores, bem como nove ministros do Governo italiano.

O Evangelho das imagens | IMAGENS |
«Não estás longe do reino de Deus.»

Espiritualidade, ecumenismo, diálogo inter-religioso e refugiados marcam visita do papa Franciso à Terra Santa
Encontros com líderes religiosos cristãos ortodoxos, judeus e muçulmanos, bem como com crianças e adultos de campos de refugiados, a par da visita a locais emblemáticos do cristianismo, judaísmo e islão marcam a viagem do papa Francisco à Terra Santa. A peregrinação à Jordânia, Palestina e Israel, que decorre de 24 a 26 de maio, assinala o 50.º aniversário do encontro em Jerusalém entre o papa Paulo VI e o patriarca cristão ortodoxo Atenágoras. O programa completo da visita, divulgado esta quinta-feira pelo Vaticano, privilegia a espiritualidade, o ecumenismo, o diálogo inter-religioso e o abraço às pessoas mais desfavorecidas, como são os refugiados e jovens com deficiência. Além das homilias três missas a que preside, estão previstos dez discursos, mais de dois terços dos quais em Israel. Conheça a agenda da viagem.

Cinema: “O Filho de Deus” | VÍDEO + IMAGENS |
Um ano após investir na produção da série televisiva “A Bíblia”, popularizada pela participação do ator português Diogo Morgado, que assume o personagem de Cristo, o produtor Mark Burnett decidiu arriscar a estreia em cinema de parte dessa empreitada, na quota respeitante à vida de Jesus. Na sucessão de cenas é difícil apreender as motivações profundas de “O Filho de Deus”, com um Jesus simpático, amável com as crianças, misericordioso, mas sem que se vislumbre qualquer densidade espiritual. Onde está a construção do personagem? Onde está a sua identidade profunda? Christopher Spencer propõe uma fraca encarnação do Verbo, num Jesus a quem se tenta compensar a falta de carisma pelo estilo à vez declarativo, imperativo ou malandro, numa candura francamente artificial e, por vezes, deslocada do dramatismo que atravessa cada passo da narrativa evangélica.

Agenda para hoje

Roma
Debate sobre o fim da vida
Organização: Átrio dos Gentios
Para saber mais: Pastoral da Cultura

Lisboa
Seminário: Os Jesuítas, missionários e educadores
Francisco Contente Domingues, Ana Leitão, Henrique Leitão, António Trigueiros SJ, António Matos Ferreira, Mário Simões, Francisca Veiga, Elisabete Francisco, Miguel Corrêa Monteiro
Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (anfiteatro 3)
10h00
Entrada livre
Para saber mais: Faculdade de Letras

Anúncios