É novo » 1.3.2014

Menos coisas, mais coração: Meditação sobre o Evangelho do VIII Domingo
Pedimos-te apenas o pão suficiente para hoje, o pão que chega para o dia a dia, como o maná no deserto, não a ânsia de mais. É o desafio do monge: conheço mosteiros que vivem assim, como aves e como lírios, diariamente dependentes do céu. Mas este desafio é também para todos nós, cheios de coisas e temerosos do futuro. Ocupar-se menos das coisas e mais da vida verdadeira, que é feita de relacionamentos, conhecimento, liberdade, amor. Queres voar alto, como uma ave, queres florir na vida como um lírio? Então deves desfazer-te dos pesos. Madre Teresa de Calcutá costumava dizer: tudo o que não serve, pesa! Menos coisas e mais coração: não uma renúncia, mas uma libertação. Das coisas, da “tralha” que comanda os pensamentos. Procura o reino, ocupa-te da vida interior, procura a paz para ti e para os outros, justiça para ti e para os outros, amor para ti e para os outros.

Quando acaba o amor no casal é preciso «não condenar» nem «fazer casuística», mas «caminhar» com ele, diz papa
O papa vincou esta sexta-feira, no Vaticano, que a Igreja tem o dever de acompanhar os membros de um casal que deixam de estar unidos pelo amor, em vez de os criticar ou de os analisar à luz de argumentos subtis. «[Quando] o amor fracassa, porque muitas vezes fracassa, devemos sentir a dor do fracasso, acompanhar as pessoas que tiveram este fracasso no próprio amor. Não condenar. Caminhar com eles. E não fazer casuística com a sua situação», vincou Francisco, segundo a Rádio Vaticano. «Sempre o pequeno caso. E esta é a armadilha: por trás da casuística, por trás do pensamento casuístico, há sempre uma armadinha. Sempre. Contra as pessoas, contra nós, contra Deus, sempre», vincou. O Evangelho proclamado nas missas desta sexta-feira permite observar «quão belo é o amor, quão belo é o matrimónio, quão bela é a família», ao mesmo tempo que realça a «proximidade» que a Igreja deve ter «pelos irmãos e irmãs que na vida tiveram a desgraça de um fracasso no amor».

O Evangelho das imagens | IMAGENS |
«Deixai vir a Mim as criancinhas, não as estorveis: dos que são como elas é o reino de Deus.»

Consignação de 0,5% do IRS: Não sai do bolso e ajuda a ajudar
Com o início do prazo para a entrega das declarações do IRS, a 1 de março, recordamos que os contribuintes podem doar 0,5% da sua coleta do imposto (o que se paga após deduzir as despesas) a um organismo religioso ou IPSS (Instituição Particular de Solidariedade Social). Esta possibilidade, consignada na Lei 16/2001, de 22 de junho, não implica qualquer pagamento adicional, dado que a redistribuição é feita pelo Estado, desde que a pessoa indique a entidade que beneficia do donativo. As quantias consignadas em cada declaração, por vezes aparentemente insignificantes, multiplicar-se-ão e poderão constituir uma ajuda importante para o organismo que beneficia da doação. «Para sermos verdadeiramente artífices de paz, devemos educar-nos para a compaixão, a solidariedade, a colaboração, a fraternidade, ser activos dentro da comunidade e solícitos em despertar as consciências para as questões nacionais e internacionais e para a importância de procurar adequadas modalidades de redistribuição da riqueza», sublinhou o papa emérito Bento XVI na mensagem para o Dia Mundial da Paz de 2012.

Cinema: “Nebraska” | VÍDEO + IMAGENS |
“Nebraska” é um olhar perspicaz, terno e bem humorado sobre os encantos e os desencantos do outono da vida, num caminho melancólico feito a dois – um percurso de relação materializada entre pai e filho, onde ambos se redescobrem. Relação feita de consonâncias e dissonâncias, de rudeza e de afetos, a viagem segue sob um argumento original bem gizado, a cargo de Bob Nelson, ilustrado num preto e branco que não apenas expõe contrastes mas se concentra na estrita essência visual, escusando tudo quanto seja acessório ao retrato daquela relação acompanhada com realismo e simpatia. E para o seu bom resultado, contribui a belíssima prestação de Bruce Dern, o protagonista. À nomeação para a Palma de Ouro em Cannes no ano de 2013 e à consagração como melhor ator que aí foi devida a Bruce Dern, somam-se agora a candidatura aos Óscares em seis categorias: melhor filme, realização, argumento original, direção fotográfica, ator principal e atriz secundária – June Squibb, no papel de Kate.

Agenda para hoje

Setúbal
Colóquio: “Frei Agostinho da Cruz e os seus herdeiros”
Para saber mais: Pastoral da Cultura

Vila Viçosa
Música: Concerto
Coral de S. Domingos
Igreja dos Agostinhos
17h00
Entrada gratuita

Anúncios