É novo » 15.2.2014

Papa Francisco ofereceu “curso de preparação para o matrimónio” e deu conselhos «para sempre»
«Na oração do Pai-nosso, dizemos: “O pão nosso de cada dia nos dai hoje”. Os esposos podem aprender a rezar também assim: “Senhor, o amor nosso de cada dia nos dai hoje”.» O papa Francisco encontrou-se na manhã desta sexta-feira com mais de vinte mil noivos de vários países que se estão a preparar para o matrimónio, por ocasião da memória litúrgica de S. Valentim, padroeiro dos namorados. A iniciativa, que decorreu na Praça de S. Pedro, no Vaticano, começou com testemunhos, música e poesia. O papa chegou depois, tendo respondido às perguntas colocadas por três casais de noivos, antecipadamente escolhidas. O “para sempre” do casamento cristão, as três palavras que consolidam a «arte» de viver juntos e os critérios que determinam a celebração do sacramento e a festa que se lhe segue constituíram os temas abordados por Francisco, numa intervenção pautada pelo improviso e pelo humor, de que apresentamos alguns excertos.

O Evangelho das imagens | IMAGENS |
Jesus ordenou à multidão que se sentasse no chão. Depois tomou os sete pães e, dando graças, partiu-os e deu-os aos discípulos, para que os distribuíssem, e eles distribuíram-nos à multidão. Tinham também alguns pequenos peixes. Jesus pronunciou sobre eles a bênção e disse que os distribuíssem também. Comeram e ficaram saciados. Dos bocados que sobraram encheram sete cestos. Eram cerca de quatro mil pessoas. 

O cristão é sempre cordeiro, nunca lobo, diz papa Francisco, que pede «alegria» na vida e no testemunho
O cristão é uma pessoa que está sempre a caminhar, é alegre e nunca deve recorrer à violência ou astúcia maligna para fazer valer a sua perspetiva, frisou hoje o papa Francisco na missa a que presidiu, no Vaticano. «Por vezes, a tentação faz-nos pensar: “Mas isto é difícil, estes lobos são espertos e eu serei ainda mais espero do que eles”. Cordeiro. Parvo não, mas cordeiro. Com a astúcia cristã, mas cordeiro sempre. Porque se tu és cordeiro, Ele defende-te. Mas se tu te sentes forte como o lobo, Ele não te defende, deixa-te só e os lobos comer-te-ão cru. Como cordeiro», apontou. Os católicos, prosseguiu, não podem ser pessoas que permaneçam paradas, e se tal acontece é porque têm «alguma doença» na sua identidade: «O cristão é discípulo para caminhar, para andar». «Não fazem um favor ao Senhor nem à Igreja aqueles cristãos que têm um tempo de adagio-lamentoso, que vivem sempre assim, lamentando-se de tudo, tristes. Este não é o estilo do discípulo», declarou ainda.

— Agenda para hoje —

Ponta Delgada
Música: Concerto de música antiga
Mafalda Castro, cravo; João Vaz, órgão; Pedro Sousa e Silva, flauta de bisel
Igreja de S. José
20h30 
Entrada livre
Início das comemorações dos 300 anos da igreja de S. José

Anúncios