É novo » 11.1.2014

Cada um de nós é filho predileto de Deus: Meditação sobre o Evangelho do Domingo do Batismo do Senhor
Jesus coloca-se na fila com os pecadores, ele que era o puro de Deus, na fila, como o último de todos. E entra no mundo desde o lugar mais raso, para que ninguém o sinta distante, para que ninguém se sinta excluído. E eis que se abriram os céus e vê-se o Espírito de Deus – que é a plenitude do amor, da energia, da vida de Deus – descer como uma pomba sobre Ele. Este acontecimento excecional, que ocorre num lugar comum, e não no espaço do sagrado, o rasgar dos céus com a declaração de amor de Deus e o voo de asas abertas do Espírito, aconteceu também para nós; o que o Pai dá a Jesus, é dado a todos. No nosso Batismo, exatamente como no rio Jordão, uma voz repetiu: Filho, tu assemelhas-te a mim, eu amo-te, tu dás-me alegria. Tens dentro de ti a respiração do céu, o sopro de Deus que te envolve, te modela, transforma pensamentos, afetos, esperanças, te faz semelhante a mim.

Presidente do Pontifício Conselho da Cultura recebe “Honoris Causa” e intervém no Guggenheim de Bilbau
O presidente do Pontifício Conselho da Cultura, cardeal Gianfranco Ravasi, vai estar a 4 de março no Museu Guggenheim, na cidade espanhola de Bilbau, para participar numa mesa redonda com personalidades da cultura e da arte. O encontro decorre após a cerimónia em que a Faculdade de Teologia da Universidade de Deusto, na mesma cidade do País Basco, conferirá ao prelado italiano o doutoramento “Honoris Causa”. Com este ato, a academia quer reconhecer o «grande trabalho ao serviço do diálogo da fé com a cultura, a arte, o pensamento, a ciência e as demais confissões religiosas» do cardeal Ravasi, refere uma nota publicada no site da faculdade.

Poesia de Frei Agostinho da Cruz, Sebastião da Gama e Daniel Faria no colóquio “Arrábida, Candidatura a Património da Humanidade”
«Alta Serra deserta, donde vejo/ As águas do Oceano duma banda,/ E doutra já salgadas as do Tejo»: a poesia de Frei Agostinho da Cruz (1540-1619) constitui um dos núcleos do colóquio “Arrábida, Candidatura a Património da Humanidade”, que decorre nos meses de fevereiro e março em Setúbal. «O mais difícil não é ir à Arrábida (…). Difícil, difícil, é entendê-la: porque boas praias, boas sombras e boas vistas há-as em toda a parte para os bons banhistas, os bons amigos de bem comer, os bons turistas; o que não há em toda a parte é a religiosidade que dá à Serra da Arrábida elevação e sentido. (…) Mas é fora de dúvida que o visitante, se o não apreendeu, saiu da Arrábida sem sequer ter entrado nela verdadeiramente! Vá sozinho, suba ao Convento, que é onde o espírito da Serra converge e como que ganha forma, leve, se quiser, os versos de Agostinho (…) e experimente como afinal é fácil estar a sós com Deus», escreveu Sebastião da Gama.

A Igreja em Portugal e no mundo: síntese de 10.1.2014

O Evangelho das imagens | IMAGENS |
«Ninguém pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do céu. Vós próprios sois testemunhas de que eu disse: “Não sou o Messias, mas aquele que foi enviado à sua frente”. Quem tem a esposa é o esposo; e o amigo do esposo, que o acompanha e escuta, sente muita alegria ao ouvir a sua voz. Essa é a minha alegria, que agora é completa: Ele deve crescer e eu diminuir.»

Cinema: “O lobo de Wall Street” | VÍDEO + IMAGENS |
Aos 71 anos, o realizador Martin Scorsese continua a revelar a sua vitalidade cinematográfica e a vontade de escrever a história da América, que vem olhando ao longo dos anos por múltiplos prismas. Em todos, raramente escusa o lado mais negro daquela que, para uns tantos, foi considerada a “terra dos sonhos”, e, para tantos outros, “um exemplo”. Acusado por alguma crítica de ter construído um filme tão pouco idóneo como a vida do protagonista, que a mesma crítica entende sair engrandecida e apetecível, “O Lobo de Wall Street” é, para todos os efeitos, considerado um dos filmes do ano pela indústria e o mundo cinematográficos, já candidato aos Globos de Ouro para Melhor Filme (Musical ou Comédia) e Ator Principal. Realizado com grande fôlego, um olhar minimamente perspicaz poderá facilmente adivinhar a ironia com que a figura de Belford é retratada, com Di Caprio a desempenhá-la com o habitual brilhantismo.

— Agenda para hoje —

Lisboa
Visita guiada: “Itinerários da Fé – Fé, História e Arte de mãos dadas”
Igreja e Museu de São Roque, Ermida de Nossa Senhora da Vitória, Igreja de São Nicolau, Igreja da Conceição Velha
10h00 -12h30
Informações e inscrições: Paróquia de São Nicolau (tel. 218 879 549); endereço eletrónico: itinerarios@paroquiasaonicolau.pt

Lisboa
Conferência: Quando a fortaleza se vive na fragilidade
P. Mateus Peres, O.P.
Para saber mais: Pastoral da Cultura

Entroncamento
Música: Concerto de Reis
Orfeão do Entroncamento
Igreja da Sagrada Família
18h15

Lisboa
Música: Viagens na minha terra – um Natal Tradicional Português
Coro Municipal da Lourinhã
Palácio Foz
18h30
Participação por convite
Para saber mais: Jornal “Alvorada”

Priscos, Braga
Presépio vivo
Espaço com cerca de 30 mil m2, 600 participantes e mais de 60 cenários referentes às culturas egípcia, judaica e romana
20h00 – 23h00
Para saber mais: Presépio ao vivo de Priscos

Freixo de Espada à Cinta
Música: Concerto de Reis
Isabel Furtado, soprano; Carlos Nunes, trompete; Tadeu Filipe, órgão
Igreja matriz
20h30

Lisboa
Música: Concerto de Ano Novo
Obras de António Carreira, Fr. António Carreira
Capella Patriarchal; João Vaz, órgão e direção
Igreja de S. Vicente de Fora
21h00
Reservas (gratuitas): 919 745 338; info@althum.com

Landim, Vila Nova de Famalicão
Música: Concerto de Reis
Obras de Duarte Lobo
Capella Musical Cupertino de Miranda
Igreja de Santa Maria de Landim
21h30
Entrada livre

Aveiro
Música: Concerto
Escola Superior de Artes Aplicadas (Castelo Branco): Coro e Ensemble de Metais e Percussão

21h30

Anúncios