É novo » 8.1.2014

Diocese de Coimbra convida especialistas em artes, economia. ética e ciências humanas para debater mundo contemporâneo
A diocese de Coimbra convidou especialistas em sociologia, ética, economia, trabalho, história, arquitetura, música, literatura e artes plásticas e performativas para as suas jornadas de formação permanente, dedicadas ao tema “Mundo Contemporâneo: desafio à Nova Evangelização”. O encontro, que decorre de 21 a 23 de janeiro no Seminário Maior, em Coimbra, e será encerrado pelo bispo diocesano, D. Virgílio Antunes, dirige-se a leigos, padres e religiosos que «desejam aprofundar a sua fé e compreender melhor os desafios que essa fé faz à sua ação no mundo e na cultura», lê-se na página da diocese. A iniciativa abre com a conferência “Cultura e culturas contemporâneas: Chaves de interpretação”, proferida por Alfredo Teixeira, sociólogo e professor da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa.

Paisagem outonal – Da janela e além dela | IMAGENS |
Será a mesma coisa ver por detrás de uma janela ou ver além dela? Não, não é. Detrás da janela vê-se mas não se sente o odor que o vento da montanha traz consigo. O que um citadino snobe vê como resultado de causa-efeito, um montanhês vê-la-á como graça, como força e como destino. Vê a terra como húmus, onde as ‘coisas com o mesmo odor devem estar juntas’. Vigora a lei da naturalidade que ordena as coisas e as dispõe para a comunhão. Tal como uma boa parte das derivações e sucessões, nós, os derivados do húmus, perdemos essa naturalidade e voltamo-nos para a artificialidade da representação dos papéis. Perdemos a correspondência entre a naturalidade criatural e naturalidade das relações. Mas à terra todos voltaremos um dia, independentemente do poder ou do arsenal tecnológico que possamos mobilizar em prol da nossa salvação! Este regresso não é o fim mas poderá ser o recomeço de muita coisa. É possível lá voltar, se mobilizarmos a nossa perceção da vida para lá das correntes que se apressam a menosprezar a ruralidade.

«Humildade» e «serviço» são critérios para orientar vida cristã, aponta papa Francisco
Diante das opções que diariamente têm de ser tomadas, desde a vida familiar à profissional, das pequenas às grandes opções, os critérios que devem orientar quem confia em Deus são a «humildade» e o «desejo», sublinhou o papa esta terça-feira, no Vaticano. «Se um pensamento, se um desejo te conduz pela estrada da humildade, do abaixamento, do serviço aos outros, é de Jesus. Mas se te conduz pela estrada da suficiência, da vaidade, do orgulho, sobre a estrada de um pensamento abstrato», então já não é de Deus, afirmou Francisco na homilia da missa a que presidiu, refere a Rádio Vaticano.

«Nos próximos 20 anos haverá mais mudanças na sociedade e na Igreja do que nos últimos cem»
Na diocese de Innsbruck, na Áustria, subsiste a convicção de que «nos próximos vinte anos, na sociedade e na Igreja, haverá mais mudanças do que nos últimos cem anos». «A direção desta tendência, se para melhor ou para pior – está nas nossas mãos», refere uma nota referente ao ciclo de encontros “Um outro futuro é possível”, que a diocese organiza no âmbito da comemoração dos cinquenta anos. As sessões sobre o futuro da sociedade e Igreja, que começam esta terça-feira, contam com a intervenção do bispo do Tirol, bem como especialistas em teologia pastoral, pedagogia, sociologia, ecologia, empreendedorismo e jornalismo, entre várias personalidades do mundo académico, eclesiástico e social austríaco.

O Evangelho das imagens | IMAGENS |
Ao anoitecer, estava o barco no meio do mar e Jesus sozinho em terra. Ao ver os discípulos cansados de remar, porque o vento lhes era contrário, pela quarta vigília da noite foi ter com eles, caminhando sobre o mar, mas ia passar adiante. Ao verem Jesus caminhando sobre o mar, os discípulos julgaram que era um fantasma e começaram a gritar, porque todos o viram e ficaram atemorizados.

A Igreja em Portugal e no mundo: síntese de 7.1.2014

— Agenda para hoje —

Lisboa
Visita guiada: A talha dourada da igreja de S. Roque
Igreja de S. Roque
13h15
Entrada gratuita, sujeita a inscrição obrigatória pelos telefones 213 235 233/824/065/444

Lisboa
Ciclo de conferências “Teologia Pública”
Um Deus fiável – Uma leitura de Pierangelo Sequeri
José Frazão Correia
16h00 – 17h30
Universidade Católica (edifício da Biblioteca, Sala de Exposições, 2.º piso)
Entrada livre

Lisboa
Ciclo de seminários “Um mês, um códice iluminado”
O “De Avibus” de Alcobaça – Uma cópia de Clairvaux?
Rita Castro
Biblioteca Nacional de Portugal
18h00
Entrada livre
Para saber mais: Biblioteca Nacional de Portugal

Aveiro
Debate: É possível uma sociedade sem corrupção?
Paulo Morais (vice-presidente da ONG “Transparência e Integridade”)
Centro Universitário Fé e Cultura (Universidade de Aveiro, ao lado do Seminário Santa Joana Princesa)
21h00
Entrada livre

Lisboa
Debate: A virtude da Paciência
Em torno do livro “Paciência com Deus”, de Tomas Halik
Ana Vicente, Rui Medeiros, P. Alexandre Palma
Capela do Rato
21h30
Entrada livre

Anúncios