É novo » 4.12.2013

Peregrinação de Advento: dia 4
Numa estrada ventosa entre montes sou capaz de ver o caminho à minha frente, mas eles tapam uma vista maior. Talvez esta não seja uma má imagem para a maior parte da vida humana. Sei o que tenho de fazer hoje e amanhã, que pode ser igual ao que fiz ontem. Não tenho tempo ou apetência para ver mais longe, ou penetrar pelo campo adentro, longe da estrada já batida. Sente alguma falta de entusiasmo? Mal começámos a nossa viagem do Advento e já estamos confrontados com o quotidiano, o mundano, a monotonia. Provavelmente estaria a espera de algo mais estimulante? No entanto, o Deus para quem estamos a caminhar escolheu, Ele próprio, ao tornar-se humano, juntar-se a nós na normalidade dos dias das nossas vidas, tanto como os pontos altos e os momentos inesquecíveis. Talvez a oração de hoje possa tornar-se a celebração da simplicidade de, dia após dia, avançar com a minha vida.

Contributo dos cristãos no espaço público deve ser «profético»
A presença e a atuação dos cristãos na sociedade portuguesa deve ser profética, afirmou esta terça-feira o diretor do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura ao comentar a exortação “Evangelii gaudium” (A alegria do Evangelho), do papa Francisco. A «humildade de se saber que a religião é uma parte do todo público» está a par do «estímulo muito grande a que a presença dos cristãos seja um fermento de grande esperança, e que o seu contributo em todas as áreas, como a economia, a política e a cultura, seja um contributo profético», sublinhou. «Que a Igreja possa sinalizar valores tão fundamentais como o afirmar que ninguém é descartável, que nenhum ser humano se pode considerar como lixo, mas que para cada pessoa a sociedade tem de encontrar um lugar na história», vincou.. Em Portugal continua a haver «um conjunto de preconceitos grandes em relação ao religioso», afirmou à margem do colóquio “Religião e espaço público”.

Papa tem palavras justas e claras «para meter o dedo em muitas feridas», diz patriarca de Lisboa sobre a exortação “Evangelii gaudium”
O patriarca de Lisboa pronunciou-se esta terça-feira sobre a exortação apostólica “Evangelii gaudium” (A alegria do Evangelho), do papa Francisco, tendo realçado a pertinência da mensagem social do documento. O papa «tem encontrado palavras muito justas e muito claras para meter o dedo em muitas feridas que a nossa sociedade manifesta, concretamente desigualdades gritantes, não só nos países que nos tocam mais de perto, mas também entre «países ricos e pobres», afirmou. D. Manuel Clemente apontou também o «muito desrespeito pela dignidade humana»: «Parece que adormecemos em relação a situações que não podemos manter. De vez em quando acordamos, quando há uma Lampedusa ou morre muita gente ao tentar chegar às costas da Europa». O patriarca pronunciou-se também sobre o inquérito na diocese de Lisboa com vista ao sínodo da família, que está a «exceder as expetativas», e acerca da sentença aplicada ao padre da diocese da Guarda acusado de abuso sexual de menores.

Novo número da “Lusitania Sacra” é dedicado à «santidade»
«Estudar a essência da experiência da santidade, os distintos territórios sociais em que se inscreveu e os métodos, que também são históricos, da sua construção» são os objetivos da mais recente edição da “Lusitania Sacra”, revista semestral publicada pelo Centro de Estudos de História Religiosa da Universidade Católica Portuguesa. «Na sua aparente diversidade, o programa deste volume foi pensado para responder a três questões nucleares. Em primeiro lugar, averiguar a importância da santidade no plano da experiência religiosa e, mais concretamente, da piedade católica. Não por acaso se abre o percurso a inquirir por que é que há santos e como se constrói um santo. Outro vetor será o de tentar compreender as diferentes formas de experiência da santidade em função dos contextos sociais e espaciais em que nasceram e se inscreveram. O terceiro eixo está voltado para uma reflexão sobre as práticas historiográficas, isto é, para os problemas com que o historiador da santidade se confronta.» Leia excertos da introdução e consulte o índice.

O desejo de Natal do patriarca de Lisboa: Que as palavras bonitas sejam preenchidas por atitudes concretas
O patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, afirmou esta terça-feira que o presente de Natal que mais deseja é de que os votos que se trocam nesta época passem das palavras aos atos concretos. «Dizemos palavras tão bonitas nesta altura do ano – parece, até, que esgotamos o vocabulário das coisas bonitas a dizer, e está bem que assim seja -, mas elas têm de ser preenchidas por atitudes», sublinhou ao ser convidado a deixar uma mensagem natalícia aos portugueses. «Quando dizemos “felicidade”, temos de, efetivamente, procurar a felicidade dos outros. Quando dizemos “solidariedade”, temos de, efetivamente, ser solidários com os outros; quando dizemos “justiça”, temos de, efetivamente, dar a cada um aquilo que lhe é devido», vincou. O também presidente da Conferência Episcopal Portuguesa apresentou também as suas perspetivas para 2014 em Portugal.

Bispos do Brasil propõem cursos para implantar Pastoral da Cultura em todas as dioceses
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil quer implantar a Pastoral da Cultura nas dioceses de todo o país, e para esse efeito estabeleceu uma parceria com a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais para a criação de dois cursos: uma pós-graduação à distância e uma formação presencial, mais breve. «Não faz muito tempo, havia a compreensão de que a cultura não devia ser compreendida como um campo de ação evangelizadora da Igreja. Hoje, percebemos que a cultura tem tudo a ver com o processo de transformação da vida da pessoa, do testemunho cristão dentro da comunidade, na sociedade», frisou o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Educação e Cultura, o bispo D. Joaquim Mol.

Papa convida católicos a olharem para o sorriso de Cristo e a serem como Ele
A paz, a alegria e a espiritualidade foram as notas dominantes da homilia que o papa Francisco pronunciou esta terça-feira, durante a missa a que presidiu na Casa de Santa Marta, no Vaticano. «Pensamos sempre em Jesus quando pregava, quando curava, quando caminhava, andava pelas estradas, também durante a Última Ceia… Mas não estamos tão habituados a pensar em Jesus sorridente, alegre», disse Francisco, citado pela Rádio Vaticano. Cristo quis que «a Igreja fosse também alegre»: «Não se pode pensar uma Igreja sem alegria, e a alegria da Igreja é precisamente isto: anunciar o nome de Jesus.»

Câmara Municipal de Lisboa propõe visitas guiadas a presépios emblemáticos da cidade
O programa de visitas guiadas “Itinerários de Lisboa”, promovido pelo município, está a dar a conhecer até 13 de dezembro presépios emblemáticos da cidade, localizados na sé patriarcal, basílicas, igrejas e museus. A iniciativa começou esta terça-feira com o presépio da basílica de Estrela, moldado por Machado de Castro e considerado um dos mais extraordinários de Portugal, prosseguindo quarta-feira com o da igreja de Nossa Senhora da Anunciada. Nesta quinta-feira é a vez do Museu Nacional do Azulejo, com um conjunto de 42 figuras de meados do século XVIII, atribuído a Dionísio e António Ferreira, enquanto que na sexta-feira é proposto o presépio da basílica dos Mártires, do mesmo século, a que são apontadas influências da tradição presepista do norte de Portugal. Conheça o programa.

Vaticano recebe exposição do arquiteto Santiago Calatrava
“Santiago Calatrava: As metamorfoses do espaço” é o título da exposição dedicada ao arquiteto espanhol que abre esta quarta-feira num dos braços da colunata da Praça de S. Pedro, no Vaticano. A mostra promovida pelos Museus do Vaticano e pelo Pontifício Conselho da Cultura, que ficará exposta até 20 de fevereiro, apresenta cerca de 140 obras da variada produção artística do criador, conhecido em Portugal pelo projeto da gare multimodal do Oriente, inaugurada durante a Expo 98, em Lisboa. A exposição revela modelos arquitetónicos, acompanhados pelos desenhos preparatórios, assim como aguarelas e esculturas, monumentais e de dimensão mais reduzida, em bronze, mármore, alabastro e madeira.

— Agenda para hoje —

Lisboa
Apresentação do livro “O tempo ao sabor da Fé”
Autor: D. Nuno Brás
Apresentação: Mons. Vítor Feytor Pinto
Editora: Paulus
Rádio Renascença (auditório)
18h00
Para saber mais: Pastoral da Cultura

Braga
Inauguração de exposição de presépios
Presépios executados por artesãos da região de Braga
Tesouro-Museu da Sé
18h00
Patente até 7 de janeiro

Anúncios