É novo » 3.1.2.2013

Colóquio "Religião no espaço público"

Peregrinação de Advento: dia 3
No início do Advento, a Igreja coloca diante de nós a enigmática figura de João Batista. O seu papel é preparar as pessoas para ir ao encontro Cristo quando Ele vier. João faz isto chamando-as à penitência. A palavra grega usada nos Evangelhos, “metanoia”, significa literalmente dar a volta, olhar para uma direção diferente. Se o leitor começar a dirigir o seu olhar para o caminho errado, nunca vai chegar ao seu objetivo, independentemente dos passos que dê em frente. Por isso é importante, especialmente nas primeiras fases da caminhada, verificar se está corretamente orientado. João é também visto como um companheiro para a viagem. Ele é capaz de fazer realçar Jesus quando outros não o reconhecem. Ele satisfaz-se em desaparecer na sombra, para que outros possam chegar a Cristo.

Papa quer católicos de formação sólida, diz que ação dos leigos tem de ser «fortemente apoiada» e pede presença da Igreja no debate público
«A educação das consciências» torna-se «prioritária», nomeadamente através da «formação do julgamento crítico», ao mesmo tempo que se manifesta uma perspetiva «positiva» sobre as realidades sociais, atitude que evitará «a superficialidade dos julgamentos e a resignação à indiferença». Esta aposta exige que «os católicos, padres, pessoas consagradas, leigos, adquiram uma formação sólida e de qualidade», permitindo assim um «melhor anúncio do Evangelho», vincou o papa. «Neste contexto, o testemunho e o compromisso dos leigos na Igreja e na sociedade têm um lugar de eleição e devem ser fortemente apoiados», porque os batizados são convidados a serem «discípulos-missionários» onde quer que estejam, apontou. Numa sociedade «fortemente marcada pela secularização», os bispos holandeses foram estimulados por Francisco a «estarem presentes no debate público, em todos os domínios onde o homem está em causa, para tornar visível a misericórdia de Deus, a sua ternura por toda a criatura».

Livro “Portugal empreendedor” lembra contribuição de católicos para a sociedade portuguesa
O livro “Portugal empreendedor – Trinta figuras empreendedoras da cultura portuguesa” é apresentado esta segunda-feira no Salão Nobre da Reitoria da Universidade de Lisboa. O volume inclui biografias de personalidades como os padres António Vieira, Fernando Oliveira, Sena Freitas, Manuel Antunes e Vítor Feytor Pinto, bem como do bispo D. Carlos Azevedo, revelou ao Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura um dos coordenadores da obra, José Eduardo Franco. O título divide-se entre a «teorização dos diversos temas que estabelecem as principais linhas conceptuais do Empreendedorismo» e a análise de personalidades «que marcaram e marcam a diferença, pelas suas reconhecidas qualidades, no panorama nacional e internacional da Cultura Portuguesa».

Papa Francisco reúne conselho de oito cardeais para avaliar “ministérios” do Vaticano | IMAGENS |
O papa Francisco reúne-se a partir desta terça-feira, no Vaticano, com o conselho de oito cardeais nomeado por ele a 13 de abril para o ajudar na reforma da Cúria romana e no governo da Igreja. A reunião, que decorre até quinta-feira, é o segundo encontro formal do conselho.Nesta sessão serão avaliados o trabalho e as competências das congregações do Vaticano, os dicastérios, departamentos de primeira ordem da Santa Sé, avança o site “Vatican Insider”. Prevê-se que à exceção da manhã de quarta-feira, quando marcará presença na audiência geral, o papa acompanhe o trabalho destes três dias, que deverá passar ao lado da reforma dos conselhos pontifícios, onde se inclui o da Cultura.

S. Francisco Xavier no Japão | IMAGENS |
«Durante a sua estada no Japão, Xavier delineou algumas das linhas-mestras da ação missionária no arquipélago. O objetivo do navarro era a delimitação de uma estratégia de evangelização eficiente que permitisse a conversão do maior número possível de japoneses ao cristianismo. Esta estratégia passou pela adoção do modelo de adaptação cultural, aplicado por Francisco Xavier, ainda que de uma forma tímida e incipiente. Nas décadas seguintes foi progressivamente aperfeiçoado, até que, entre 1579 e 1582, o visitador italiano, Alessandro Valignano (1539-1606), o reconheceu como método oficial da missão, codificando-o na obra Advertimentos e avisos acerca dos costumes e catangues de Japão (1581-82). Este modelo de evangelização preconizava uma postura mais aberta e compreensiva face à cultura das sociedades que os missionários procuravam converter. Na prática, os religiosos deveriam adotar a etiqueta e costumes japoneses, rejeitando apenas as práticas religiosas e sociais que chocavam frontalmente com o Evangelho.» Evocação de S. Francisco Xavier, no dia em que a Igreja evoca a sua vida.

Oração, caridade e louvor: Papa Francisco aponta programa para o Advento
O papa Francisco sublinhou esta segunda-feira, segundo dia do Advento, que a preparação para o Natal, que é mais do que uma recordação ou «uma coisa bonita», passa pela oração, pela caridade e pelo louvor. «O Natal é um encontro. E caminhamos para o encontrar [Cristo]: encontrá-lo com coração, com a vida; encontrá-lo vivo, como Ele é; encontrá-lo com fé», disse Francisco na homilia da missa a que presidiu, no Vaticano. Mais do que encontrar-se com Deus, é preciso que cada pessoa se deixe «encontrar por Ele»: «É Ele que entra dentro de nós, é Ele que nos refaz totalmente de novo».

“O tempo ao sabor da fé”: Bispo auxiliar de Lisboa reúne crónicas
O livro “O tempo ao sabor da fé”, que reúne artigos de opinião de D. Nuno Brás, um dos bispos auxiliares de Lisboa, publicados no semanário “Voz da Verdade”, do patriarcado lisboeta, é apresentado esta quarta-feira, em Lisboa. Igreja, fé, papas, liturgia e Europa são alguns dos temas em análise pelo membro da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais, «fruto da procura pessoal de olhar o tempo que passa com a visão da fé cristã e com o seu sabor».

Órgão de tubos do séc. XIX volta a ouvir-se após décadas de silêncio
O instrumento, com dois manuais e 2229 tubos distribuídos por 51 meios-registos, foi encomendado pelo cabido da Colegiada ao organeiro vimaranense Luís António de Carvalho em 1831. Trata de um instrumento ibérico com base num flautado de 24 palmos (que só encontra par no Norte de Portugal nos órgãos ibéricos da Sé de Braga e no órgão de São Bento da Vitória no Porto). A recuperação do instrumento, que abrangeu a sua caixa e entendeu-se à tribuna, foi apoiada por fundos da União Europeia.

Presépio do Vaticano vai ser napolitano e a árvore de Natal vem da Baviera
A praça São Pedro, no Vaticano, vai contar este ano com um presépio oferecido pelo arcebispo de Nápoles, cardeal Crescenzio Sepe, enquanto que a árvore de Natal provém da Baviera, na Alemanha. O presépio terá o estilo artístico da Nápoles do século XVIII, revela o portal de notícias do Vaticano, adiantando que o responsável será Antonio Di Tuoro, que há anos cuida dos presépios da arquidiocese italiana. Por seu lado, a árvore de Natal é um abeto de 25 metros de altura e 7,2 toneladas, que foi cortado esta segunda feira em Ratisbona e chegará a Roma na quinta-feira.

— Agenda para hoje —

Lisboa
Colóquio: Do Edito de Milão à atualidade: A religião no espaço público
Universidade Católica
10h00 – 17h00
Entrada livre
Para saber mais: Pastoral da Cultura

Lisboa
Apresentação do livro “Não nos esqueçamos de Deus”
Autor: Card. Angelo Scola
Apresentação: Eliete Duarte, João Seabra
Editora: Paulinas
Universidade Católica (auditório Cardeal Medeiros)
16h45
Para saber mais sobre o livro: Pastoral da Cultura

Anúncios