É novo » 11.11.2013

Pré-publicação: “Sim, cremos: O Credo comentado pelos Padres da Igreja”
Escreveu Santo Agostinho: «Tem sempre presente a tua fé, examina-te a ti mesmo; que o Símbolo da fé seja para ti como um espelho. Olha-te nele para ver se realmente crês em todas as verdades que professas acreditar e alegra-te todos os dias na tua fé, pois esta é a tua grande riqueza.» E ainda: «O Símbolo é, pois, a regra da fé, compendiada de forma breve, para instruir sem sobrecarregar a memória. Com poucas palavras dizem-se coisas com as quais muito se alcança. Chama-se Símbolo, porque com ele se reconhecem os cristãos.» A Universidade Católica Editora lança esta sexta-feira, em Lisboa, a obra “Sim, cremos: O Credo comentado pelos Padres da Igreja”, de Isidro Pereira Lamelas, especialista em Patrologia e professor da Faculdade de Teologia. O livro contém «os melhores textos» redigidos pelos Padres da Igreja» – escritores que, a seguir à geração dos apóstolos e até ao séc. VIII, se notabilizaram pela santidade de vida e pela sintonia com o pensamento da Igreja – sobre as grandes afirmações da fé que ficaram condensadas no Credo. Leia um excerto do volume.

Luís Miguel Cintra lê Evangelho segundo S. João em novo filme | VÍDEO + IMAGENS |
Diz Luís Miguel Cintra: «O Evangelho de João é todo ele uma definição do amor. Tem-me acompanhado numa imensa ânsia de alternativa para uma sociedade hipócrita, uma organização política do mundo atual verdadeiramente assassina, para uma tardia educação filosófica que não me deixe triste quando perceber que vou morrer. A tarefa a que se dedicam o Joaquim e o Nuno [realizadores] é para mim uma exemplar militância política: mudar pelo exemplo a maneira de viver de toda a gente. E bastou não me deixarem parar, porem-me no meio do campo a dizer o Evangelho só com eles e dois amigos mais como parceiros, sentir que o sol se punha enquanto eu lia a narrativa das palavras que João deixou escrito que o Cristo que ele amava disse há dois mil e tal anos, para toda a fancaria artística deixar de me interessar. Eu só quero entender. E ter companhia. “Creio no Espírito Santo.” E não quero perder a vida em compromissos.»

S. Martinho: Mais que castanhas e água-pé
Ajude-nos São Martinho a compreender que só através de um compromisso comum de partilha, é possível responder ao grande desafio do nosso tempo: isto é, de construir um mundo de paz e de justiça, no qual cada homem possa viver com dignidade. Isto pode acontecer se prevalecer um modelo mundial de autêntica solidariedade, capaz de garantir a todos os habitantes do planeta o alimento, as curas médicas necessárias, mas também o trabalho e os recursos energéticos, assim como os bens culturais, o saber científico e tecnológico.

Gérard Depardieu lê “Confissões”, de Santo Agostinho, em Lisboa | VÍDEO |
Gérard Depardieu, ator natural de França (n. 1948) vai ler em Lisboa excertos da obra “Confissões”, de Santo Agostinho, no âmbito da sua participação no Lisbon & Estoril Film Festival. Remonta ao Jubileu do ano 2000, em Roma, a leitura, por parte de Depardieu, de um dos mais importantes escritos do Doutor da Igreja e bispo de Hipona (354-430), onde, entre outros passos, narra a sua conversão. «Quis ir em peregrinação porque sempre admirei muito João Paulo II. Colocaram-se entre os cardeais e apresentaram-me ao Santo Padre. Ele olhou para mim e exclamou, dirigindo-se aos cardeais que o rodeavam: “Agostinho! Tendes de falar-lhe de Agostinho”, contou em entrevista ao jornal francês “La Croix”. «Os livros X e XI das “Confissões” oferecem respostas às nossas perguntas mais íntimas e acalmas as nossas interrogações mais dolorosas», sublinhou Depardieu.

“Observatório da Cultura” entrevista secretário de Estado da Cultura e evoca Ano da Fé, Sínodo sobre a Família e Édito de Milão
A próxima edição do “Observatório da Cultura” apresenta uma entrevista exclusiva ao secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, e evoca três acontecimentos que marcam a vida da Igreja católica em 2013. O n.º 20 da publicação do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura inclui textos sobre o Ano da Fé, que termina a 24 de novembro, a Família, tema do Sínodo Extraordinário agendado pelo papa Francisco para outubro de 2014, e o Édito de Milão, promulgado há 1700 anos. Jorge Barreto Xavier fala da cultura portuguesa, das prioridades do Governo para essa área, da redução dos recursos económicos e do contributo da Igreja católica, terminando a entrevista com a referência à «limpidez da palavra sobre o ruído» de um autor contemporâneo da sua predileção.

Anúncios