É novo » 8.11.2013

A Esperança é o lugar de encontro de todas as crenças | VÍDEO |
«Uma das coisas que mais me impressiona, e não falo só de Portugal, é um clima geral de incapacidade de imaginar que as coisas podem ser diferentes e melhores», afirmou esta quarta-feira na Capela do Rato, em Lisboa, o colunista Daniel Oliveira. O antigo dirigente do Bloco de Esquerda foi um dos convidados da sessão sobre a virtude da Esperança. Henrique Joaquim, presidente da Comunidade Vida e Paz, referiu-se à protagonista do documentário, Alexandra, de 19 anos, que sofreu a «ostracização e a indiferença»: a «esperança pode ser vivida no sofrimento», bem como «na incerteza e no incompreensível», mas também «no sonho». «A esperança que a Alexandra transmite vem do ninho onde ela foi criada», salientou por seu lado a jornalista Cândida Pinto. O responsável pela Capela do Rato, padre Tolentino Mendonça, frisou que «não há ateus para a esperança», virtude «insustentável e paradoxal» que muitas vezes se cultiva no «sofrimento». Veja o documentário.

Leitura: “Velai comigo”
«A maior tristeza de um paciente moribundo é o fim das suas relações e responsabilidades. Vivemos em interação com os outros, e à medida que a fraqueza invasora leva à mudança das nossas funções, à medida que o assalariado já não pode trabalhar ou a dona de casa tem de passar as suas atividades de cuidado da família a outros, é difícil não nos sentirmos inúteis e humilhados. A família aproveita, muitas vezes e prontamente, a oportunidade de saldar dívidas de amor e cuidados, mas não é fácil ser continuamente a causa da preocupação das outras pessoas, e, por isso, este processo de cuidados deve ser feito com sensibilidade. Pode-se aproveitar este tempo para curar amarguras e para promover reconciliações, o que, como em qualquer tempo de crise, pode acontecer surpreendentemente depressa. (“Vivemos uma vida inteira em três semanas.”)» Na coletânea de ensaios e reflexões intitulada “Velai comigo – Inspiração para uma vida em Cuidados Paliativos”, a autora, Cicely Saunders, explora a «relação entre a biografia pessoal, a vida espiritual e uma ética do cuidar».

D. Manuel Clemente, Garrett McNamara, Tiago Bettencourt e Miguel Poiares Maduro vão ao Meeting de Lisboa 2013
O patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, o surfista da «maior onda do mundo», Garrett McNamara, o músico Tiago Bettencourt e o ministro Miguel Poiares Maduro, são alguns dos intervenientes no 2.º Meeting de Lisboa. A iniciativa, organizada pelo movimento católico Comunhão e Libertação, realiza-se de 22 a 24 de novembro na arena do Campo Pequeno, com entrada livre e gratuita, sendo dedicada ao tema “Sejam realistas peçam o impossível”. O evento, que compreende exposições, concertos, conferências e encontros, além de bancas de livros e produtos artesanais, visa «criar espaços de diálogo entre pessoas de culturas, tradições e credos diferentes». Conheça o programa.

Ciclo “Cinema e o sentido da Vida”
«O cinema, como as restantes artes, têm o seu modo próprio de expressar esse enorme desafio que é a Vida. Ao longo da história do cinema, inúmeros filmes criam narrativas, mais ou menos realistas, mais ou menos poéticas, mais ou menos fictícias que nos aproximam do real e do imaginado, do que conhecemos e do que nos transcende, impulsionando-nos à descoberta do que somos, fomos e podemos ser», sublinha a nota de apresentação da iniciativa. Os programadores escolheram narrativas que «fazem refletir sobre diferentes modos de olhar a Vida e, particularmente, aquelas que expressam formas plurais de superação». “Cinema e o sentido da Vida” é o tema do ciclo composto por sete filmes e cinco curtas-metragens que decorre de 28 de novembro a 1 de dezembro.

Anúncios