É novo » 19.7.2013

Revista “Brotéria” mostra «um retrato de Portugal» e analisa «coadoção em uniões homossexuais»
A mais recente edição da revista “Brotéria – Cristianismo e Cultura”, referente aos meses de maio e junho, abre com «Um retrato de Portugal» tirado por Manuel Braga da Cruz, anterior reitor da Universidade Católica Portuguesa. O professor de Sociologia Política na mesma instituição apresenta «alguns traços mais característicos» do país, «do ponto de vista social e político». «A coadoção em uniões homossexuais» é o tema da análise de Pedro Vaz Patto, que começa por frisar que o projeto-lei 278/XII «permitirá tornear facilmente a atual proibição da adoção conjunta por pares do mesmo sexo». «Títulos dados ao papa. Quando as palavras contam», «Resquícios da Guerra Fria: a Península Coreana», «Viagem ao outono da vida», «Religião sem Deus?» e «O Concílio de Trento» completam os temas deste número.

Escutar o que em nós é mais fundo
Qual é a minha carência mais profunda, a ausência maior que me habita, essa ferida que permanece aberta como se fosse insanável? Ou, de outro modo: qual é o meu desejo vital, essencial, absolutamente decisivo? De que estou à procura? Reconciliar os nossos desejos é, pois, unificá-los em torno de um centro. Não um centro que eu construo, mas um centro que me é dado – essa marca indelével do divino inscrita na nossa carne. E essa marca é uma ferida. Teresa de Ávila di-lo de uma forma muito intensa, sob a forma de pergunta: «Poderão existir remédios humanos para os que estão doentes do fogo divino? Quem sabe até onde chega a profundidade dessa ferida?» É essa ferida que oferece a cada um de nós a possibilidade de sair da sua cidadela e de se religar com a Fonte. Neste movimento está desenhado o nosso desejo essencial.

Diretor do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura intervém no Congresso Mundial de Universidades Católicas
O padre José Tolentino Mendonça, vice-reitor da Universidade Católica Portuguesa e diretor do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, é um dos conferencistas do congresso mundial de universidades católicas, que começa esta quinta-feira no Brasil. “Novos tempos, novos sentidos” é o tema do encontro que reúne em Belo Horizonte cerca de duas mil pessoas de várias partes do mundo, antecedendo a Jornada Mundial da Juventude, marcada para 23 a 28 de julho, no Rio de Janeiro. O sacerdote português vai proferir a conferência “Família, amizade, afetividade e sexualidade: desafios para um amor integral”, e participa na mesa redonda “Universidade, cultura e espiritualidade”, ao lado do cardeal ganês Peter Turkson.

A juventude está mais incrédula
Sinto que as crianças e os jovens que participaram mais ou menos anos na catequese ficaram com reconhecida ignorância de cultura bíblica; escassa formação cristã pós-crismal, nos poucos que lá chegaram; e manifesta deserção da assembleia eucarística dominical. O diagnóstico dos males não é necessariamente um bom remédio, mas notamos hoje que, a uma Igreja especializada no mundo da infância, não corresponde uma juventude cristãmente comprometida. Bem pelo contrário. Vejam como os jovens manifestam falta notória de evangelização primária no seio da família; as comunidades paroquiais já não contam com a inexistente ou escassa iniciação cristã das famílias e da escola; a imagem da Igreja está, tantas vezes, longe do fogo de amor que Jesus trouxe à terra; e a cultura europeia atual, também no nosso país, dá sinais de grande indiferença em relação ao cristianismo.

A Igreja em Portugal e no mundo: síntese (18.7.2013)
Cáritas Portuguesa apresenta projeto para dar trabalho a pessoas com mais de 45 anos | Instituições católicas aderem a rede de apoio a pessoas vítimas de tráfico | Cáritas denuncia miséria na Faixa de Gaza | Diocese de Leiria-Fátima tem novo site.

Anúncios