É novo » 8.7.2013

Abdicar do cristianismo é pôr em perigo a humanidade, diz patriarca de Lisboa, que convida ao entendimento com quem discorda da Igreja
O novo patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, alertou este domingo para os efeitos negativos que podem advir da eliminação dos valores que o testemunho cristão consolidou na sociedade portuguesa. «Com a difusão do cristianismo e a sua feliz coincidência com as aspirações de tantas sabedorias e credos, foram pouco a pouco germinando sementes de vida, civilização e cultura de que não podemos abdicar sem pôr em risco a própria humanidade de nós todos», vincou na missa que assinalou a sua entrada solene no Patriarcado de Lisboa. O presidente da República, Cavaco Silva, o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e o vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, entre outras personalidades do governo, autarquias e forças de segurança, ouviram igualmente D. Manuel Clemente salientar a importância da Igreja para Portugal, desde que os fiéis se comprometam com esse princípio.

Religiosidade dos super-heróis: Hulk é de verdade católico? | IMAGENS |
Bastará um rosário apertado numa mão para definir católica uma pessoa? É, seguramente, suficiente para qualificar o credo religioso de um super-herói de banda desenhada como Hulk, conforme o parecer qualificado do primeiro sítio americano especializado no tema. Mas este não é o único indício do personagem em questão: Bruce Banner, o incrível homem verde, casou-se com a amada Betty Ross numa igreja e o rito foi oficiado por um sacerdote católico. E ainda outros sinais disseminados entre as centenas de tiras a ele dedicadas revelam inequivocamente a sua fé. No final desta viagem, interessante e sumária, cabe perguntar se tudo isto tem valor. Seguramente também o mundo de hoje parece ter necessidade de heróis positivos, impávidos e justos, que na eterna luta entre o bem e o mal sabem sempre escolher de que parte estar. E se por detrás desta escolha estão, de forma mais ou menos explícita, motivações religiosas, tanto melhor, visto que não raramente a religião é usada para justificar injustiças e violências.

Novo patriarca de Lisboa pede mais preparação e compromisso dos católicos na política, sociedade e cultura
D. Manuel Clemente, que este sábado tomou posse como patriarca de Lisboa, considera que os católicos devem estar melhor preparados e terem um compromisso mais forte na política, na sociedade e na cultura em Portugal. «Para o debate cultural que temos agora de travar, ainda não temos formação e entrega», afirmou o também presidente da Conferência Episcopal Portuguesa em entrevista à Renascença. «Os pronunciamentos episcopais são muito bonitos, as encíclicas papais são excelentes, mas precisam de ser apanhados pelas comunidades cristãs», salientou.

Anúncios