É novo » 28.6.2013

História da diocese de Lisboa contada pelo seu novo patriarca, D. Manuel Clemente (I): das origens ao fim da permanência islâmica
Potâmio é, de facto, o primeiro bispo inquestionável da cidade; mas a sua própria existência e admissível proveniência autóctone – nomes gregos como o seu eram vulgares no Império e a escolha de um bispo pressupunha geralmente o seu conhecimento prévio por parte dos crentes locais – induz a preexistência de uma comunidade cristã relativamente consolidada. A situação da cristandade local a seguir à conquista islâmica, por volta de 714, não se distinguiria muito do que geralmente aconteceu pela Península Ibérica: os cristãos que quiseram continuar a sê-lo – os moçárabes – puderam manter a sua fé e praticar o seu culto, embora sujeitos a tributos específicos e proibidos de qualquer proselitismo.

Rezar com o coração em Deus e no mundo
As pessoas mais contemplativas – Teresa de Ávila, João da Cruz, Catarina de Sena, Inácio de Loiola, Tomás Merton, Dorothy Day – foram as que procuraram, de modo mais ativo, a vinda do Reino de Deus sobre a Terra. Nós rezamos para nos tornarmos como elas. Para termos a certeza de viver uma vida de oração autêntica, temos de examinar continuamente e sempre os seus frutos em nós. Estamos realmente mais preocupados com os outros em virtude de nos termos aproximado do Deus que os ama? Ou transformamos a oração num refúgio que nos mantém longe do que a nossa plena humanidade nos pede?

Papa critica «cristãos de palavra» por andarem com Deus nos lábios mas estarem longe dele
«Na história da Igreja há duas classes de cristãos: os cristãos de palavra – os que dizem “Senhor, Senhor, Senhor” – e os cristãos de ação, em verdade», afirmou esta quinta-feira o papa. Na missa a que presidiu na Casa de Santa Marta, no Vaticano, Francisco sublinhou que «houve sempre a tentação de viver o nosso cristianismo fora da rocha que é Cristo», refere o portal de notícias da Santa Sé. A «tentação» dos «cristãos de palavra» é aderirem a um «cristianismo sem Cristo», fenómeno que «aconteceu e acontece hoje na Igreja», alertou o papa, numa homilia em que chamou a atenção para as consequências de uma pertença cristã sem vínculo espiritual sólido a Deus.Um dos subtipos dos «cristãos de palavra» é o «gnóstico», que «em vez de amar a rocha, ama as palavras belas», pelo que não vai além da superfície da vida cristã, enquanto outros se distinguem por uma existência séria e hirta, a «olhar para o chão».

Novo patriarca de Lisboa diz que «o melhor de Portugal são os portugueses»
D. Manuel Clemente, que a 6 de julho toma posse como patriarca de Lisboa, afirmou esta quarta-feira no Porto que «o melhor de Portugal são os portugueses, e entre os melhores estão os portuenses». «Levo para Lisboa o Porto, porque Portugal precisa de ser um grande Porto em todos os sentidos», vincou o prelado, citado pelo jornal “Público”, na sessão de homenagem que a Santa Casa da Misericórdia portuense organizou no Palácio da Bolsa. Perante centenas de pessoas, entre as quais figuras públicas da cidade e o ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, o Prémio Pessoa 2009 disse, com voz embargada: «Vai tudo cá dentro, no coração, porque o coração não tem distância, só profundidade».

Papa defende que imagens televisivas ajudam a fazer «pontes» e a alimentar «comunhão» | VÍDEOS |
O papa considera que as imagens televisivas contribuem para estabelecer diálogos e aproximar os católicos provenientes dos vários cantos do globo. «O uso das imagens ajuda a construir pontes e a conhecer modalidades de ser Igreja nas várias latitudes do mundo. Ajudam, de alguma maneira, a tornarmo-nos menos estranhos e a alimentar a comunhão», afirmou. As declarações de Francisco foram proferidas a propósito do acordo entre o Centro Televisivo do Vaticano (CTV) e o Canal 21, estação emissora da arquidiocese de Buenos Aires. Nos primeiro vídeo que apresentamos, o cardeal Bergoglio apresenta a sua mensagem para a Páscoa de 2013, gravada antes do conclave. Os dois registos seguintes referem-se às conversas sobre a “felicidade” e a “alegria” mantidas com o rabino Abraham Skorka, com quem escreveu o livro “Sobre o céu e a terra” (Clube do Autor). O quarto vídeo é uma reportagem sobre a última missa da Ceia do Senhor, na Quinta-feira Santa, com o gesto do lava-pés, que o cardeal Bergoglio celebrou na arquidiocese argentina.

“Instituto de Antropologia”: poesia de Jorge Reis-Sá
A noite impõe as suas palavras. Resta-nos / apontá-las, copistas medievais mediando / as estrelas. Dia virá em que // Deus escreverá sem a ajuda de ninguém / a metáfora final e definitiva. Cumprir-se-ão / as profecias, ajoelhar-me-ei ateu. // Os caules interromperão tropismos, bordarão / na terra as letras que Ele imprimiu na sua pele.

Anúncios