É novo » 15.6.2013

Jornada Nacional da Pastoral da Cultura: inscrições abertas

«Portugal não pode continuar a desperdiçar o melhor que tem, que são os jovens», diz Roberto Carneiro
Roberto Carneiro, distinguido pela Igreja Católica com o Prémio Árvore da Vida – Padre Manuel Antunes 2013, afirmou esta sexta-feira que Portugal «não pode continuar a desperdiçar o melhor que tem, que são os jovens». Convidado a comentar o estado atual do ensino público, o antigo ministro da Educação declarou ao Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura que é urgente «apostar na empregabilidade». «Não podemos continuar a ter 40 ou 50% dos jovens sem emprego. É um desperdício enorme de capital humano. O país investe neles, e eles vão beneficiar as economias de outras sociedades. Temos de arranjar maneira de estes jovens serem úteis e produtivos no seu país», frisou. Referindo-se à emigração de jovens que não conseguem o trabalho que pretendem em Portugal, o docente universitário defendeu que «a mobilidade é boa», desde que seja por opção: «Defendo uma mobilidade por liberdade, e não por coação».

Papa considera que «fratura entre Evangelho e cultura» é «um drama»
O papa afirmou esta sexta-feira, no Vaticano, que «a fratura entre Evangelho é cultura é sem dúvida um drama», numa intervenção novamente marcada por palavras como «ponte» e «abertura». Oferecemos alguns excertos desse discurso, dirigido por Francisco à comunidade de escritores da revista italiana “La Civiltà Cattolica”, que a Companhia de Jesus fundou há 163 anos. A intervenção centrou-se em três palavras: «diálogo», «discernimento» e «fronteira». A alocução menciona a espiritualidade e objetivos dos Jesuítas, mas não deixa de revelar orientações para uma Pastoral da Cultura e, mais genericamente, para a atitude dos católicos em relação a outras maneiras de perspetivar a vida.

Anúncios