É novo » 24.3.2013

Leitura: O tempo pede uma Nova Evangelização
«Nós somos realmente muito antigos e nada nos predestinava a ser fosse o que fosse. Nem terra, nem gente, nem língua, nem coisa alguma que nos recortasse de outros. Por isso, o que temos de original é sermos realmente muito antigos, sem razões de origem para o sermos. Dito doutro modo, é perdurarmos. Quase contra tudo, quase contra todos e quase contra nós, por vezes. Se há “enigma português”, é este mesmo. Basta e sobra, por ser quase inédito. Também para nos alimentar a esperança, que é o que sobeja dos impossíveis passados, para os impossíveis futuros.» Excerto do novo livro de D. Manuel Clemente, que vai ser apresentado este domingo no Porto, dia em que passam seis anos sobre a tomada de posse da diocese.

Quaresma e Páscoa: rito, fé e cultura | IMAGENS |
Das Cinzas ao Compasso os ritos religiosos da Quaresma e Domingo de Páscoa deixam marcas na cultura, até porque muitos se expressam publicamente, fora das igrejas. Neste texto revemos os elementos essenciais da veneração a Cristo crucificado, a espiritualidade baseada na narrativa bíblica da Paixão, a sua leitura e representação dramatizada, a Via Sacra e as celebrações da Semana Santa – Domingo de Ramos, Quinta-feira, Sexta-feira e Sábado Santos, culminando na Vigília Pascal, a mais importante e solene celebração do ano litúrgico.

Papa Francisco e Bento XVI: o vídeo do abraço e da oração comum, num encontro para a História | VÍDEO |

Algarve: cristianismo e cultura desde o Domingo de Ramos à Páscoa da Ressurreição
As “tochas”, simples hastes coloridamente decoradas com flores (ramos de alfazema, rosmaninho e flores campestres) transportadas exclusivamente por homens, são prostradas na calçada, juntando-se ao vasto tapete florido, magnífico trabalho de mãos voluntariosas, sobre o qual o sacerdote caminha durante mais de 1 km, ao mesmo tempo que carrega o Santíssimo, numa custódia. Para construir esta obra são precisas três toneladas de flores, num trabalho que resulta do esforço de uma centena de voluntários. Depois de uma árdua semana de trabalho, na apanha e preparação das flores, é na véspera do Domingo de Páscoa que todos os minutos são poucos, noite fora até ao amanhecer, para aplicar o magnífico tapete florido ao longo do percurso da procissão. Conheça algumas das principais tradições cristãs, culturais e gastronómicas algarvias.

Anúncios