É novo » 19.3.2013

Igreja Católica participa pela primeira vez na Bienal de Veneza
A Igreja Católica vai participar pela primeira vez na Bienal de Veneza, mostra de arte que na sua 55.ª edição decorre de 1 de junho a 24 de novembro, anuncia a página do evento. O espaço reservado à Santa Sé, um dos 10 estados que em 2013 se estreia naquela que é uma das instituições culturais mais prestigiantes do mundo, situa-se em salas que a Bienal está a restaurar para se tornarem pavilhões duradouros. Em outubro de 2012, durante o Sínodo dos Bispos sobre a Nova Evangelização que decorreu no Vaticano, o cardeal Gianfranco Ravasi explicou que a entidade a que preside, o Pontifício Conselho da Cultura, convidou «alguns artistas» a estarem presentes com uma obra inspirada no tema «Criação – “Descriação” – Nova Criação».

Investigação: História da Inquisição portuguesa
A Inquisição é, sem dúvida, um símbolo dos excessos de desumanidade a que se pode chegar em nome da religião e do que se considerava a verdade. Ainda assim, representa também uma instituição filha do seu tempo que, para ser seriamente compreendida, precisa de ser estudada no seu contexto e nas suas consequências concretas. neste livro encontrar-se-á, acima de tudo, uma adequada notícia sobre a vida institucional e judiciária do Santo Ofício, bem como sobre os homens que o formaram, cruzando sempre estes aspetos centrais com os seus impactos sociais e culturais, as formas como se foi moldando e moldou a vida religiosa e a moral, como se relacionou com as esferas da política, da economia e da diplomacia, tudo num espaço extraordinariamente vasto e integrado, como era o do reino e do império português na Idade Moderna.

Deus é Pai de misericórdia
A questão não é: «Como hei-de encontrar Deus?», mas: «Como hei-de deixar que Deus me encontre?». A questão não é: «Como posso conhecer Deus?», mas: «Como posso deixar que Deus me conheça?». Finalmente, a questão não é: «Como vou amar a Deus?», mas: «Como vou deixar-me amar por Deus?». Deus anda por longe à minha procura, tratando de me encontrar e desejando levar-me para casa.

Teresa Salgueiro e Luís Represas dão voz a textos de José Mattoso para o “passo-a-rezar”
Teresa Salgueiro e Luís Represas, antigos vocalistas dos grupos Madredeus e Trovante, vão dar voz aos textos que o historiador José Mattoso redigiu para as meditações da Semana Santa no site “passo-a-rezar”. Entre as músicas selecionadas incluem-se composições dos últimos trabalhos de Teresa Salgueiro (“O Mistério”) e João Gil (“Missa Brevis”), refere uma nota enviada ao Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, parceiro do projeto.

Brasão do papa Francisco: símbolos e significados
O escudo azul é encimado por símbolos da dignidade pontifícia, idênticos aos escolhidos pelo predecessor, Bento XVI. A mitra está colocada entre chaves de ouro e prata decussadas (dispostas em forma de “x”) e ligadas por um cordão vermelho. No alto do escudo encontra-se o emblema da Companhia de Jesus, ordem a que pertence o papa Francisco. Sobre um sol irradiante e flamejante estão escritas, a vermelho, as letras IHS; trata-se do monograma (entrelaçamento de letras iniciais) de Jesus em carateres gregos (iota, eta, sigma, Iesous). Sobre a letra H está uma cruz e em baixo há três pregos, alusões à crucificação de Jesus. Na parte inferior do escudo reside uma estrela, que, de acordo com antiga tradição heráldica, simboliza a Virgem Maria, mãe de Cristo e da Igreja. Ao lado a flor de nardo, muito aromática, aponta para São José, patrono da Igreja que é liturgicamente evocado a 19 de março, dia em que se celebra a missa de início de pontificado de Francisco.

Quaresma, terça-feira da semana V: Patrística
Os donativos dos ricos são amplos; menores, os daqueles que têm fortuna mediana, mas o efeito das obras não difere se idêntico for o afeto dos que as praticam. Nesta oportunidade, caríssimos, de exercermos as virtudes, existem outras coroas, não provenientes dos gastos dos depósitos, nem da diminuição do dinheiro.

Dia do Pai: um Pai que se torna nosso
Lapidares na sua clareza são as palavras de São Cipriano sobre o Pai-Nosso: «Não dizemos “Meu Pai, que estais nos céus” e de igual maneira “Dá-me hoje o pão de cada dia”. E nenhum de nós pede que venha perdoada apenas a sua ofensa, nem pede que só ele seja poupado à tentação ou liberto do mal. A nossa oração é pública e comunitária, e quando rezamos, rezamos por todo o povo, não apenas pelo indivíduo, por que todos formamos uma coisa só». Comovedores são igualmente os termos usados por Santo Agostinho: «”Pai-Nosso”, quanta bondade! Di-lo o imperador e di-lo o mendigo, declara-o o patrão e declara-o o criado, afirmam-no juntos…Compreendem assim que são irmãos, desde o momento em que têm o mesmo Pai, um só Pai». E, no mesmo registo, se alinha a meditação contemporânea do poeta Charles Péguy: «É necessário salvar-se conjuntamente, precisamos de chegar juntos ao Paraíso, precisamos apresentarmo-nos juntos no Paraíso. É necessário pensar nos outros, é necessário doar-se aos outros. O que é que Deus nos dirá, se chegarmos ao Paraíso sem os outros?».

Universidade Católica abre Academia de Estudos Livres com cursos breves sobre Cinema, Filosofia e Literatura
A Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, criou a Academia de Estudos Livres, «que pretende ser uma oportunidade para ajudar percursos de reflexão, aprendizagem e intercâmbio de experiências para quem deixou de frequentar o ensino superior. A iniciativa estende-se também a pessoas que nunca tendo passado pela universidade «têm interesse e curiosidade em dar início a novas experiências de contacto com o saber», lê-se no desdobrável do projeto. «Acreditamos que podemos contribuir para reavivar potenciar adormecido, repensar formas de estar, reconstruir valores e utilizar ferramentas disponíveis de forma útil e gratificante.»

Semanário Ecclesia: três mil páginas de informação multimédia por ano
O semanário Ecclesia assumiu no início de janeiro o formato exclusivamente digital, dando lugar a conteúdos multimédia que não podiam ser oferecidos na edição em papel. A revista publicada pelo Secretariado Nacional das Comunicações Sociais da Igreja Católica, geralmente com 60 páginas, inclui uma entrevista e colunas assinadas semanalmente pelos bispos D. José Cordeiro, D. Pio Alves, D. António Marcelino e D. Manuel Linda. Cada edição oferece uma síntese das principais notícias da Igreja em Portugal e no mundo, além do editorial, a “foto da semana”, citações recolhidas nos media e, ainda, espaços de opinião.

Anúncios