É novo » 17.3.2013

Quaresma, V Domingo: para uma espiritualidade da alegria
Não convém confundir a alegria corri as suas diversas expressões a todos os níveis: existe o prazer, o conforto, a alegria intelectual e artística, a alegria do trabalho bem feito ou do empreendimento conseguido; há, sobretudo, as. alegrias incontáveis das relações humanas, incluindo a alegria do amor, que deve acompanhar o homem ao longo de toda a sua vida. E, no entanto, todas essas experiências não passam de formas exteriores da alegria. Quanto mais importantes forem essas formas, mais profundas as suas raízes. A alegria verdadeira situa-se a uma grande profundidade, e deveríamos cavar profundamente em nós até fazê-la jorrar. É esse sem dúvida o sentido da expressão que costumamos usar quando queremos exprimir uma grande felicidade: Estou profundamente feliz. É por isso que qualquer. grande felicidade é também silenciosa. Não se pode exprimir. É indizível. Raramente aflora à superfície e nós seríamos incapazes de ostentá-la. Somos habitados por essa alegria na própria raiz do nosso ser.

«Como desejo uma Igreja pobre e para os pobres»: papa revela detalhes do conclave e sublinha importância da Beleza
O papa explicitou este sábado que o seu nome é uma homenagem a S. Francisco de Assis (c. 1182-1226), que vendeu os bens aos pobres antes de fundar uma ordem que quis basear na pobreza. «Como gostaria ter uma Igreja pobre e para os pobres», disse Francisco no Vaticano, durante um encontro com cerca de seis mil jornalistas acreditados na Santa Sé. Em tom amável e descontraído, o papa relatou os momentos finais do conclave.«Durante a minha eleição tinha junto a mim o arcebispo emérito de S. Paulo, o cardeal Claudio Hummes, grande amigo, que quando os acontecimentos começavam a ficar “perigosos”, me confortava», explicou. «Quando os votos chegaram aos dois terços e os cardeais aplaudiram, ele abraçou-me, beijou-me e disse-me: “Não te esqueças dos pobres”», acrescentou.

Papa Francisco e Bento XVI reencontram-se no próximo sábado
O papa Francisco e o seu antecessor, o papa emérito Bento XVI, vão reencontrar-se no próximo sábado, 23 de março, em Castel Gandolfo, onde Joseph Ratzinger está instalado desde 28 de fevereiro, dia em que renunciou ao pontificado. De acordo com a sala de imprensa do Vaticano, Jorge Maria Bergoglio parte do Vaticano às 12h00 (menos uma hora em Lisboa), fazendo o percurso de helicóptero até à residência pontifícia situada a sul de Roma, onde chegará 15 minutos depois. Na próxima segunda-feira encontra-se às 12h50 com a presidente da República da Argentina, Cristina Kirchner. Conheça a agenda de Francisco até ao domingo de Ramos, início da Semana Santa.

«Felizes os pobres» | ÁUDIO |

Anúncios