É novo » 11.2.2013 (3.ª edição)

Ação de Bento XVI fica marcada pela «renovação» da doutrina da Igreja «no diálogo com as diferenças», considera presidente do Centro Nacional de Cultura
O pontificado de Bento XVI fica assinalado pelo contributo inestimável para a renovação do magistério doutrinal da Igreja num sentido ecuménico e de diálogo com as diferenças, em especial através de três Encíclicas muito marcantes. De facto, «Deus Caritas Est» (2005), «Spe Salvi» (2007) e «Caritas in Veritate» (2009) são três documentos profundamente interpelantes que ultrapassam em muito a circunstância em que surgem. Pela sua natureza e conteúdo constituem base para uma reflexão aprofundada no mundo contemporâneo.

Bento XVI anuncia resignação
Bento XVI anunciou hoje a resignação ao pontificado a partir de 28 de fevereiro, abrindo a porta à eleição de um novo papa. «Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são idóneas para exercer adequadamente o ministério petrino», disse aos cardeais reunidos em consistório, no Vaticano.

«O mistério está todo na infância»: o poema de José Tolentino Mendonça para Bento XVI
«O mistério está todo na infância:/ é preciso que o homem siga/ o que há de mais luminoso/ à maneira da criança futura»

Resignação de Bento XVI revela «grande amor à Igreja», diz diretor da Pastoral da Cultura
O diretor do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura considera que a resignação de Bento XVI, anunciada hoje, «revela um grande amor à Igreja e um grande sentido da responsabilidade do que significa hoje governar a barca de Pedro». «Na última quinta-feira o papa recebeu em audiência a assembleia plenária do Pontifício Conselho para a Cultura, e o discurso que nos fez foi de grande empatia. Neste pontificado percebia-se que havia uma grande empatia com o mundo da Cultura, e o reconhecimento que este é um campo de particular importância para a ação da Igreja», sublinhou.

Bento XVI: 85 anos, 85 imagens
«Um pouco de paz e sossego, a bênção de Deus e saúde»: segundo Georg Ratzinger, é tudo o que o seu irmão, papa Bento XVI, deseja para o seu 85.º aniversário, que celebra esta segunda-feira. Joseph Aloisius Ratzinger nasceu no seio de uma família católica a 16 de abril de 1927, em Marktls am Inn, sul da Alemanha, região da Baviera. Foi ordenado padre a 29 de junho de 1951, tinha então 24 anos. A 28 de maio de 1977 recebeu a ordenação episcopal, tornando-se arcebispo de Munique-Freising. A 27 de junho do mesmo ano foi criado cardeal por Paulo VI. Em 25 de novembro de 1981 o papa João Paulo II nomeou-o prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé e presidente da Pontifícia Comissão Bíblica. No dia 27 de novembro de 2002 foi eleito deão do Colégio dos Cardeais. No dia 19 de abril de 2005 foi eleito papa, sucedendo a João Paulo II. A 11 de fevereiro de 2013, Dia Mundial do Doente e memória litúrgica de Nossa Senhora de Lourdes, anunciou a resignação, com efeito a partir de 28 do mesmo mês.

Anúncios