É novo » 28.1.2013

São Tomás de Aquino: homem de cultura para quem há «harmonia natural» entre fé e razão
Em última análise, Tomás de Aquino mostrou que entre fé cristã e razão subsiste uma harmonia natural. E foi esta a grande obra de Tomás, que naquele momento de desencontro entre duas culturas – naquele momento em que parecia que a fé devia render-se perante a razão – demonstrou que elas caminham a par e passo, que quanto parecia ser razão não compatível com a fé não era razão; e aquilo que parecia ser fé não era tal, enquanto se opunha à verdadeira racionalidade; deste modo, ele criou uma nova síntese, que veio a formar a cultura dos séculos seguintes. Ele foi denominado o Doctor Angelicus, talvez pelas suas virtudes, de modo particular pela sublimidade do pensamento e pureza da vida. A Igreja evoca a 28 de janeiro o autor da Suma Teológica.

Vinte anos depois
Carlos e Regina estavam eufóricos. Iriam, enfim, realizar o sonho que os acompanhava nos últimos anos. A igreja para o casamento tinha sido escolhida com carinho; os convites foram distribuídos a tempo e toda a festa estava preparada nos mínimos detalhes. Não faltaram as brincadeiras dos amigos: “Até que enfim! Até que enfim!…” Sentiam que valera a pena terem namorado durante alguns anos, como também guardavam belas recordações dos meses de noivado. Podiam dizer que se conheciam bem. Diante do que era essencial, estavam plenamente de acordo. Só faltava mesmo dizerem mutuamente o “sim” diante de Deus e dos homens. Agora, no momento dos cumprimentos, os noivos perceberam a sinceridade dos amigos que lhes desejavam felicidades. Haveria, no mundo, um casal mais feliz? A vida abria um largo sorriso para eles. Eles, por sua vez, olhavam para o futuro com confiança e alegria. Vinte anos depois do casamento, custava ao sacerdote convencer-se do que ouvia.

Escutar o Absoluto no Ano da Fé: Bach (8) | VÍDEO |
A sessão dedicada a Bach termina com a Missa em Si Menor, a única católica do compositor. O primeiro excerto que apresentamos é “Incarnatus est” (incarnou), extraído do Credo. O segundo trecho corresponde ao final do hino “Glória” (“Com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai, Amen”). O próximo encontro de “Escutar o Absoluto no Ano da Fé”, sobre o “Requiem” e a relação da humanidade com o seu destino, decorre já em plena Quaresma, a 1 de março, no auditório da Renascença, em Lisboa.

Anúncios