É novo » 22.1.2013

Comunidade Mundial de Meditação Cristã inaugura ciclo sobre místicos cristãos | IMAGENS |
«O objetivo essencial na meditação cristã é permitir que a presença misteriosa e calada de Deus dentro de nós se torna cada vez mais, não só uma realidade, mas a realidade nas nossas vidas; deixar que ela se torne aquela realidade que confere significado, forma e finalidade a tudo o que fazemos, a tudo o que somos. A meditação é um processo de aprendizagem. É um processo de aprender a prestar atenção, a concentrar-se, a esperar.» A Comunidade Mundial de Meditação Cristã, em Lisboa, inaugura esta quinta-feira, 24 de janeiro, com o Beato Charles de Foucauld, um ciclo de seis encontros dedicado a místicos cristãos. Conheça o programa.

Presidente do Pontifício Conselho da Cultura escolhe livro dos Salmos para retiro de Bento XVI
O presidente do Pontifício Conselho da Cultura, que vai orientar o retiro quaresmal da Cúria Romana deste ano, revelou que escolheu o livro bíblico dos Salmos para as suas meditações. A escolha do cardeal italiano Gianfranco Ravasi, especialista em estudos bíblicos, é justificada com a convicção de que «Deus e o homem estão em estreito diálogo» nos Salmos. O prelado iniciará o retiro com uma reflexão sobre verbos da oração: respirar, pensar, lutar, amar. «Há uma belíssima expressão de uma mística muçulmana do século VIII – Rabia – a qual, sob o céu estrelado de Bassorá, a sua cidade no Iraque, diz: “A noite acende-se. As estrelas brilham no céu. Todo o enamorado está com a sua amada e eu estou aqui, só contigo, ó Senhor”. Isto é, a linguagem do amor e a linguagem da mística.»

“O pássaro da cabeça”: versos para crianças de Manuel António Pina | IMAGENS |
Sou o pássaro que canta/ dentro da tua cabeça,/ que canta na tua garganta,/ que canta onde lhe apeteça.// Sou o pássaro que voa/ dentro do teu coração/ e do de qualquer pessoa/ (mesmo as que julgas que não).// Sou o pássaro da imaginação/ que voa até na prisão/ e canta por tudo e por nada/ mesmo com a boca fechada.// E esta é a canção sem razão/ que não serve para mais nada/ senão para ser cantada/ quando os amigos se vão

“O Estado do Bosque”, de José Tolentino Mendonça: a primeira cena
«Sabes … quando estamos no lago a pescar … ou entretidos no canal com a tua mulher e as crianças … está um tempo esplêndido … E assim … sem tu quereres, sem fazeres por isso dás conta de um movimento que te inquieta: assim do nada, um balanço do barco, só um, ou uma sombra que corta rápida a superfície sem mais, ou um estalido ao longe, como que a milhares de quilómetros e tu não consegues distinguir bem, a não ser pela angústia que cai sobre ti. O sol brilha … os teus filhos dão guinchos de alegria porque, com os remos, os salpicas de água … a tua mulher está reclinada na proa, a luz da tarde bate-lhe na cara e ela tem os olhos fechados e sorri … mas tu já não és o mesmo.» O Teatro da Cornucópia, em Lisboa, codirigido pelo ator e encenador Luís Miguel Cintra, estreia a 7 de fevereiro a peça “O Estado do Bosque”, do padre e poeta José Tolentino Mendonça, diretor do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura. Oferecemos em primeira mão a primeira cena, tal como se pode ler no livro editado pela Assírio & Alvim.

Chegou o guia definitivo da Cidade do Vaticano
O Guia Geral da Cidade do Vaticano, lançado em dezembro, «é um dos volumes destinados a estar na estante mais próxima e mais acessível da biblioteca privada de todos os estudiosos ou viajantes cultos», sublinha o diretor dos Museus do Vaticano. «Pode dizer-se que cada metro quadrado dos 44 mil que compõem a cidade do papa é passado à lupa por mais de trinta especialistas que trabalharam nas páginas do volume.» «Quem, até agora, numa qualquer obra geral de carácter monográfico sobre o Vaticano, tinha podido ler as informações essenciais e ver as imagens da Capela de São Columbano dos Irlandeses na Gruta? Ou conhecer os autores e os frescos que se conservam na Terceira Lógia do Palácio Apostólico? Ou as criptas cujos nomes são conhecidos apenas por um grupo muito restrito de investigadores?»

Escutar o Absoluto no Ano da Fé: Bach (4) | VÍDEO |
Prosseguimos o percurso por obras que não se centram explicitamente no sagrado. A primeira proposta de audição continua o ritmo alucinante do vídeo anterior. Mas logo a seguir entramos num mundo diferente: das orquestras passamos aos instrumentos a solo e a impetuosidade dá lugar à profundidade.

Anúncios