É novo » 1.2.2013

De Amy Winehouse ao rock cristão dos The Sun: a Igreja Católica à procura da juventude perdida | VÍDEO |
A cantora Amy Winehouse e a banda rock cristã The Sun também entram na “playlist” do cardeal italiano Gianfranco Ravasi, presidente do Pontifício Conselho da Cultura. «Naquelas letras tão musicalmente e tematicamente dilaceradas emerge um pedido de sentido comum a todos»: foi com estas palavras que o prelado que vai pregar o retiro quaresmal do papa se referiu aos temas da artista inglesa que morreu em 2011, aos 27 anos, com milhões de discos vendidos. O prelado, que esta quinta-feira apresentou a assembleia plenária do Conselho Pontifício, enalteceu o «voluntariado» exercido por muitos jovens, «a paixão pela música, pelo desporto, pela amizade, que é uma maneira de dizer que o homem não vive só de pão», até à sua «original espiritualidade, sinceridade e liberdade oculta sob um manto de aparente indiferença».

“Paciência com Deus”: uma resposta «sensível», «realista» e paradoxal às «interrogações do ateísmo»
A obra agora enviada ao Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura recebeu o galardão de “Melhor Livro Europeu de Teologia de 2009/10” e, nos EUA, foi destacada como “Livro do Mês” em julho de 2010. «Em contraste com a retórica fechada de alguma apologética, que com uma ingenuidade drástica tenta simplesmente contornar a ambivalência do mundo natural e as dificuldades reais do ato de crer, Tomáš Halik dá uma reposta sensível e realista, do ponto de vista cristão, às interrogações do ateísmo», lê-se na sinopse do volume. «Paciência que não é aqui uma virtude moral, mas uma atitude intelectual: perante os paradoxos da vida há que suster o juízo precipitado e dar tempo para que a verdade que assim se esconde se possa revelar», sublinha Alexandre Palma no prefácio.

Pré-publicação: “Paciência com Deus”
Enquanto eu meditava sobre o encontro de Jesus com Zaqueu e com os inúmeros outros exemplos do seu «interesse prioritário pelas pessoas situadas nas franjas», impressionou-me que talvez hoje seja necessária qualquer coisa extra para seguirmos plenamente as pegadas de Cristo: um interesse ou, melhor ainda, um interesse prioritário pelas pessoas situadas nas franjas da fé, aquelas que permanecem na antecâmara da Igreja, se realmente chegarem a aproximar-se tanto dela. Trata-se de um interesse pelas pessoas situadas na «zona cinzenta» entre a certeza religiosa e o ateísmo, um interesse pelos que duvidam e pelos que procuram.

Centro de Estudos de História Religiosa debate teologia e política
O seminário sobre as “Relações Igreja-Estado”, organizado pelo Centro de Estudos de História Religiosa da Universidade Católica Portuguesa, prossegue a 13 de fevereiro, em Lisboa, com o tema “A teologia política pensa a política?”, por Luís Salgado de Matos. O ciclo de estudos realiza-se desde dezembro de 2006 no âmbito do projecto “A Igreja Católica e o Estado Português no século XX: os Cardeais Mendes Belo (1907-1929), Gonçalves Cerejeira (1929-1971), António Ribeiro (1971-1998) e a República Portuguesa”.

“Lincoln”: um combate pela paz que continua atual | VÍDEO + IMAGENS |
Independentemente do género, são bem patentes as questões que Spielberg levanta e os valores subjacentes que defende: o respeito pela vida, a tolerância ou respeito mútuo, para lá da diferença de espécie, raça ou credo; a relação humana com o desconhecido; a possibilidade de entendimento e cooperação nas circunstâncias mais adversas ou improváveis. “Lincoln”, mais que o olhar biográfico sobre um presidente dos Estados Unidos, é uma nova proposta de reflexão sobre a questão dos direitos humanos, especificamente centrado na abolição da escravatura – igualdade racial ou étnica. Uma obra clara e bem gerida que pretere os efeitos emocionais e visuais da guerra em favor da discussão, atual, de interesses, fundamentos e garantias da igualdade dos seres humanos, não entre si, mas perante a lei. Sem esquecer o papel preponderante, e inevitavelmente solitário, de um líder.

Anúncios

É novo » 31.1.2013

Fé em Deus precisa de «muito estudo» e «diálogo» para combater «bloqueio cultural»
A afirmação da fé em Deus confronta-se com um «autêntico bloqueio cultural» proveniente de um «”cientismo” satisfeito ou meramente ignorante», afirmou esta terça-feira em Lisboa o bispo do Porto, D. Manuel Clemente. «Considero este bloqueio uma das fronteiras mais difíceis e exigentes da nova evangelização, requerendo da nossa parte [Igreja Católica] muito estudo e vontade de aprender, bem como reforçada disposição para o diálogo e o esclarecimento, com a maior coerência prática também», frisou numa conferência sobre o impacto do Concílio Vaticano II (1962-1965).

Semana Santa de Braga apresenta programa com 20 eventos culturais | VÍDEO |
O programa das celebrações da “Semana Santa de Braga”, que o Turismo do Porto e Norte de Portugal quer candidatar a Património Imaterial da Humanidade, vai ser composto por 20 eventos culturais, como exposições de pintura e fotografia e concertos. Uma procissão penitencial ao Bom Jesus, a trasladação do Senhor dos Passos e Via Sacra, a bênção dos Ramos, as procissões dos Passos, do Senhor “Ecce Homo”, da Burrinha e do Enterro do Senhor e a Visita Pascal são alguns dos tradicionais momentos religiosos das celebrações que atraem milhares de peregrinos e turistas a Braga. Conheça as iniciativas, as datas e os locais.

Exposição “Fernando Távora – Modernidade Permanente” mostra projetos que contribuíram para a renovação da arte religiosa em Portugal
A exposição “Fernando Távora – Modernidade Permanente”, que pode ser vista até 15 de fevereiro em Guimarães, apresenta projetos que contribuíram para a renovação da arquitetura religiosa em Portugal. A mostra, coordenada por Álvaro Siza e integrada na programação da Capital Europeia da Cultura – Guimarães 2012, procura traçar uma leitura transversal da obra do autor, cruzando-a com a sua atividade pedagógica, enquanto professor. Fazem parte da exposição documentos, desenhos, fotografias e maquetas de projetos, alguns por encomenda religiosa. Destaque para o Convento das Irmãs Franciscanas de Calais – Externato de Santa Margarida, Gondomar (1961-1971) e a Capela do Instituto Nuno Álvares – Companhia de Jesus, Caldas da Saúde (1963-1965).

É novo » 30.1.2013

Quando as casas são feitas de portas e janelas… de pessoas e Deus
Quando a arquitetura entra na nossa vida a vida pode mudar para sempre. Não falo apenas de ‘exteriores’ mas também de ‘interiores’… de tantas especificidades que a ‘arte’ hoje protagoniza e possibilita. Não deixa de ser particularmente interessante verificar que o interior condiciona o modo como vemos o exterior e o exterior condiciona muito o modo como se vive no interior. Por outras palavras a paisagem exterior que se alcança de dentro ajuda a viver melhor (ou pior) dentro de casa. O que é que isto pode ter a ver com a vida? Há muito mais interação entre o exterior e o interior do que se podia imaginar. Há muita cumplicidade e influência entre os ‘dois lados da parede’.

Tem um coração e serás salvo
Preferimos o sacrifício mais absurdo. O progresso técnico, e só técnico… cada vez mais sofisticado. Mas em relação aos caminhos interiores não é assim. Tem um coração e serás salvo.

É novo » 29.1.2013

Mais de 40 movimentos de leigos católicos portugueses unem-se em novo site | VÍDEO |
A Confederação Nacional do Apostolado dos Leigos estreou na sexta-feira um site na internet que congrega as atividades e objetivos de mais de 40 movimentos católicos portugueses. A página «tem por finalidade proporcionar uma plataforma de comunhão entre os leigos em Portugal, no intuito de testemunhar as razões da sua fé, fomentar o conhecimento recíproco, promover o discernimento cristão comunitário das realidades contemporâneas e dos desafios da sua evangelização e, assim, contribuir para uma maior unidade de espírito e de ação no serviço dos leigos no mundo», explica uma nota enviada ao Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura.

O corpo, a origem e o sagrado no Cinema: uma introdução
Se o cinema sempre se interessou em representar o sagrado, é na sua forma menos ilustrativa que melhor o conseguiu, sendo a experiência do sagrado uma experiência “superior” à realidade ou que procura ultrapassar a experiência do dia-a-dia. No entanto é a partir da realidade que o sagrado se encontra e o cinema com os seus meios formais, vai questionar o mundo e a condição humana. O sagrado exprime-se através do encontro entre várias forças que criam uma tensão visual ou sonora, positiva ou negativa, espacial ou temporal.

Revelação de escultura baseada na cruz de Cristo antecede simpósio sobre Teologia do Corpo | VÍDEO |
A cruz “Ut Christus Ecclesiam Amavit” (Como Cristo amou a Igreja), do escultor Carlos Oliveira e do padre Miguel Pereira, vai ser apresentada quarta-feira em Lisboa, no âmbito do Simpósio Internacional da Teologia do Corpo, marcado para junho, em Fátima. Os autores, que se inspiraram nas catequeses do beato João Paulo II sobre a Teologia do Corpo, vão fazer a apresentação da cruz a nível artístico e teológico, enquanto que a cantora lírica Lucília de Jesus interpretará o “Stabat Mater” em gregoriano.

Nova edição da revista “Didaskalia” é dedicada ao Concílio Vaticano II
A mais recente edição da Didaskalia, publicação semestral da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa (Lisboa), é dedicada ao Concílio Vaticano (1962-1965). “A condição crente perante os desafios do futuro”, “As revoluções do credível: O Concílio Vaticano II, as mutações religiosas dos anos 60 e Michel de Certeau”, “Consciência e liberdade à luz da doutrina do Concílio Vaticano II”, “Constantino: persistência de um paradigma na Igreja de hoje”, “O aggiornamento como categoria teológica”, “Paróquias e movimentos : uma tensão pós-conciliar?”, “Percursos da Teologia Moral” e “Uma hermenêutica criativa ao serviço da renovação pastoral – Em torno da receção do Concílio no contexto português” são alguns dos temas deste volume. Consulte o resumo dos artigos.

Diretor da Pastoral da Cultura profere conferência sobre Danta, “A Divina Comédia” e a fé em ciclo dedicado ao fado
O padre José Tolentino Mendonça vai encerrar um conjunto de conferências que o Centro Cultural de Belém (CCB) e o Museu de Fado, em Lisboa, dedicam à canção que em 2011 foi integrada no património imaterial da Humanidade. “Dante Alighieri [c. 1265-1321], ‘A Divina Comédia’ e a ideia da Fé” é o tema proposto pelo diretor do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura a 30 de maio, no Museu do Fado, revela a página do CCB.

É novo » 28.1.2013

São Tomás de Aquino: homem de cultura para quem há «harmonia natural» entre fé e razão
Em última análise, Tomás de Aquino mostrou que entre fé cristã e razão subsiste uma harmonia natural. E foi esta a grande obra de Tomás, que naquele momento de desencontro entre duas culturas – naquele momento em que parecia que a fé devia render-se perante a razão – demonstrou que elas caminham a par e passo, que quanto parecia ser razão não compatível com a fé não era razão; e aquilo que parecia ser fé não era tal, enquanto se opunha à verdadeira racionalidade; deste modo, ele criou uma nova síntese, que veio a formar a cultura dos séculos seguintes. Ele foi denominado o Doctor Angelicus, talvez pelas suas virtudes, de modo particular pela sublimidade do pensamento e pureza da vida. A Igreja evoca a 28 de janeiro o autor da Suma Teológica.

Vinte anos depois
Carlos e Regina estavam eufóricos. Iriam, enfim, realizar o sonho que os acompanhava nos últimos anos. A igreja para o casamento tinha sido escolhida com carinho; os convites foram distribuídos a tempo e toda a festa estava preparada nos mínimos detalhes. Não faltaram as brincadeiras dos amigos: “Até que enfim! Até que enfim!…” Sentiam que valera a pena terem namorado durante alguns anos, como também guardavam belas recordações dos meses de noivado. Podiam dizer que se conheciam bem. Diante do que era essencial, estavam plenamente de acordo. Só faltava mesmo dizerem mutuamente o “sim” diante de Deus e dos homens. Agora, no momento dos cumprimentos, os noivos perceberam a sinceridade dos amigos que lhes desejavam felicidades. Haveria, no mundo, um casal mais feliz? A vida abria um largo sorriso para eles. Eles, por sua vez, olhavam para o futuro com confiança e alegria. Vinte anos depois do casamento, custava ao sacerdote convencer-se do que ouvia.

Escutar o Absoluto no Ano da Fé: Bach (8) | VÍDEO |
A sessão dedicada a Bach termina com a Missa em Si Menor, a única católica do compositor. O primeiro excerto que apresentamos é “Incarnatus est” (incarnou), extraído do Credo. O segundo trecho corresponde ao final do hino “Glória” (“Com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai, Amen”). O próximo encontro de “Escutar o Absoluto no Ano da Fé”, sobre o “Requiem” e a relação da humanidade com o seu destino, decorre já em plena Quaresma, a 1 de março, no auditório da Renascença, em Lisboa.

É novo » 27.1.2013

Fazer da palavra de Deus motivo de alegria: comentário à 1.ª leitura da missa de 27.1.2013
Esdras, o sacerdote, e Neemias, o governador, podem dar-se por satisfeitos: ganharam o desafio! O desafio é voltar a dar uma alma a este povo. Porque ele, uma vez mais, atravessa um período difícil. Estamos em Jerusalém, cerca de 450 anos antes de Cristo. O exílio na Babilónia terminou, o templo de Jerusalém está finalmente reconstruído (mesmo se ele é muito menos belo do que o de Salomão), a vida retomou o seu curso. Visto à distância, poder-se-ia pensar que tudo estava esquecido. No entanto a moral anda por baixo. Este povo parece ter perdido a esperança que foi sempre a sua característica principal.

A união faz a força: comentário à 2.ª leitura da missa de 27.1.2013
Para oferecer um ensinamento aos seus fiéis, Paulo recorre a um método que tem mais resultados do que todos os discursos: propõe-lhes uma comparação. Na verdade ela não foi completamente inventada, mas é ainda melhor: ele utiliza uma fábula e adapta-a ao seu objetivo. Como todas as fábulas começa por «Era uma vez». «Era uma vez», então, um homem como todos os outros… à exceção do facto de todos os membros do seu corpo falarem e discutirem entre si! E, aparentemente, não tinham bom feitio. E, provavelmente, alguns deviam ter a impressão de ser menos considerados ou de terem as suas capacidades menos exploradas.

Do início da narrativa de Lucas ao início da missão de Jesus: comentário ao Evangelho de 27.1.2013
Jesus de Nazaré, o filho do carpinteiro, não podia, claramente, pretender ser este Rei-Messias aguardado. Sejamos francos, Jesus nunca deixou de surpreender os seus contemporâneos: ele é verdadeiramente o Messias que esperavam, mas totalmente diferente daquele que era esperado! Lucas, para ajudar os seus leitores, teve o cuidado desde o início do seu livro de lhes dizer que se tinha informado diligentemente de tudo desde as origens. E, por outro lado, sublinhou na introdução a esta passagem que Jesus estava acompanhado do poder do Espírito, o que era precisamente a característica do Messias. Mas é Lucas, o cristão, quem o afirma, os habitantes de Nazaré não sabem que, realmente, o Espírito de Deus repousa sobre Jesus.

É novo » 26.1.2013

Pontifício Conselho da Cultura reúne para debater «evidente dificuldade na transmissão da fé» aos jovens
«A questão juvenil existe também na Igreja e torna-se mais candente por causa, entre outros fatores, da evidente dificuldade na transmissão da fé», considera o responsável máximo do Pontifício Conselho da Cultura. As culturas juvenis constituem o tema da próxima assembleia plenária do Pontifício Conselho da Cultura, que decorre de 6 a 9 de fevereiro, em Roma, com a participação de mais de 60 personalidades do mundo eclesial e da sociedade civil de vários países, entre as quais o diretor do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, padre José Tolentino Mendonça, um dos consultores do organismo sediado no Vaticano. O presidente do dicastério, cardeal Gianfranco Ravasi, decidiu abrir um diálogo com os jovens na rede social Twitter. A 31 de janeiro, durante a conferência de imprensa de apresentação dos objetivos e programa da assembleia plenária, serão lidas algumas das questões colocadas.

Congresso internacional “Cinema e Nova Evangelização”
As conferências devem «lembrar que uma arte aparentemente “frívola” como o cinema é hoje um meio poderoso que pode ser usado para chegar aos corações e às inteligências das pessoas, especialmente para evangelizar através da cultura». O famoso cineasta russo Andrey Tarkovsky dizia, assinalando a dimensão artística do cinema, que «a função atribuída à arte não é, como muitas vezes se supõe, propor ideias, transmitir pensamentos ou dar um exemplo. O objetivo da arte é preparar uma pessoa para a morte, de preparar a alma, tornando-a capaz de se converter». Este é o poder significativo das imagens e das histórias, os ícones e a música com que o cinema nos faz vibrar. Algo que expressa com profundidade o Papa Bento XVI ao descrever esta experiência: «Quando nos detemos para contemplar, passando de uma simples realidade externa para uma mais profunda, o raio de beleza que nos atinge, que quase nos “fere” no íntimo e nos convida a elevar-nos rumo a Deus».