É novo » 18.12.2012

De onde podemos esperar a alegria?
Poetas, artistas, pensadores, homens e mulheres simplesmente disponíveis a alguma certa luz interior puderam, antes da vinda de Cristo, e podem nos nossos dias, experimentar de alguma maneira a alegria de Deus. Mas como não ver ao mesmo tempo que a alegria é sempre imperfeita, frágil, quebradiça? Por um estranho paradoxo, a mesma consciência do que constitui a verdadeira felicidade, para além de todos os prazeres transitórios. compreende também a certeza de que não há felicidade perfeita. A experiência da finitude, que cada geração vive, obriga a constatar e a sondar a distância imensa que separa a realidade do desejo de infinito. Este paradoxo e esta dificuldade de alcançar a alegria parece-nos especialmente prementes nos nossos dias. A sociedade tecnológica conseguiu multiplicar as ocasiões de prazer, mas considera muito difícil conceber a alergia. Porque a alegria tem outra origem. É espiritual.

Adriano Moreira dá voz ao “passo-a-rezar” do Dia de Natal
O professor Adriano Moreira é a voz da meditação que o projeto “passo-a-rezar” propõe para o Dia de Natal, culminando uma semana especial que conta com participação de Inês Herédia, estudante de Teatro em Londres que se destacou na última edição do programa “Ídolos”. As meditações de Natal, que começam esta quarta-feira e termina no dia 25 de dezembro, são uma recolha de comentários do papa Bento XVI às leituras bíblicas proclamadas nas missas da época natalícia.

Vigararia de Roma apresenta segunda fase do projeto “Uma porta para o Infinito. O homem e o Absoluto na arte”
A vigararia de Roma promove esta terça-feira uma conferência de imprensa para apresentar a segunda fase do projeto “Uma porta para o Infinito. O homem e o Absoluto na arte”, iniciativa realizada em parceria com o Pontifício Conselho da Cultura. Os eventos que têm como tema “O Todo no fragmento” preveem atuações de música sacra, que chegarão também às igrejas periféricas da capital, instalações de artistas contemporâneos e uma sessão teatral. Encontrar um ponto de vista comum, privilegiado e espiritual, no seio da grande orquestra de estímulos que a arte oferece é a finalidade desta ideia. Do espaço à luz, das magnificentes arquiteturas do passado às expressões artísticas mais contemporâneas, do movimento musical ao gesto escultórico, da ação à palavra (no teatro), do som à cor (no cinema).

A espera da vinda de Deus em S. Paulo: «como um ladrão»
Na primeira carta aos Tessalonicenses encontramos um último passo conclusivo: «A respeito da época e do momento, não há necessidade, irmãos, de que vos escrevamos. Pois vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como um ladrão, de noite.» A vigilância significa a recusa de se indagar sobre o como e sobre o quando. O futuro não está nas nossas mãos. Mas a vigilância também significa o estar despertos: o como e o quando não está nas nossas mãos, mas a vinda do Senhor é um facto certo. Mantém-te sempre pronto. Não te deixes distrair. Não é só o mal que existe para nos distrair; podemos também deixar-nos sufocar por coisas legítimas que no entanto se tornam nas coisas mais importantes, capazes de nos distraírem: dinheiro, carreira e êxito, bem-estar e outras coisas deste género.

Anúncios