É novo » 13.12.2012

A humanidade do nosso tempo ainda espera um Salvador?
Tem-se a impressão de que muitos consideram Deus fora dos seus interesses. Aparentemente não precisam d’Ele; vivem como se Ele não existisse e, ainda pior, como se fosse um “obstáculo” a superar para se realizarem a si mesmos. Também entre os crentes temos a certeza há quem se deixa atrair por quimeras aliciantes e distrair por doutrinas desviantes que propõem atalhos ilusórios para obter a felicidade. Mas como devemos preparar-nos para abrir o coração ao Senhor que vem? A atitude espiritual da expectativa vigilante e orante permanece a característica fundamental do cristão neste tempo de Advento. Nascendo entre nós, que o Menino Jesus não nos encontre distraídos ou comprometidos simplesmente a embelezar com iluminações as nossas casas. Ao contrário, preparemos na nossa alma e nas nossas famílias uma habitação digna onde Ele se sinta acolhido com fé e amor.

Nova edição da revista “Communio” analisa 50 anos do Concílio Vaticano II | IMAGENS |
«O anúncio de um concílio, nas palavras proferidas por João XXIII no dia 25 de janeiro de 1959, permanece como acontecimento inscrito no âmago da memória do século XX. Entre a sessão inaugural, a 11 de outubro de 1962, e o seu encerramento, a 8 de dezembro de 1965, descobre-se uma Igreja em estado de gestação. Cinquenta anos depois, encontramos, na geografia de algumas sensibilidades, um olhar de distanciamento ou deceção em relação ao evento conciliar: uns desvalorizam-no em nome da continuidade de um edifício doutrinal que lhe é anterior; outros apresentam-se dececionados por acharem que o processo de aggiornamento teórico não encontrou as formas de tradução prática.» Conheça os autores, temas e resumos dos artigos deste número.

A importância do agora: os desafios de um cristianismo sapiencial (7) | VÍDEO |
Sobre o saborear devagar, aos poucos, sem querer desvendar o enigma de uma só vez, sabendo que é preciso regressar sempre: «Uma história dos Padres do Deserto falava de um mestre de noviços que era calígrafo. Veio o noviço e o ancião passou-lhe a página para meditar. O noviço agarrou-a e foi para a sua cela, mas ao chegar ficou horrorizado porque o ancião tinha escrito só as consoantes. Voltou para junto dele e disse-lhe: “Mestre, talvez te tenhas enganado porque me deste um texto só escrito com consoantes”. E o ancião responde-lhe: “Vai para a tua cela, medita nas consoantes, e depois vem para receberes as vogais.» «Nós queremos tudo ao mesmo tempo: as consoantes e as vogais, o passado e o futuro, o ontem e o hoje, o que se vê e o que não se vê, a terra e a lua, porque achamos que só essa totalidade nos dá o sentido profundo das coisas. Mas, e isto é de uma grande sabedoria espiritual, nós temos o que precisamos.»

A espera da vinda de Deus em S. Paulo (1)
Na sua primeira reflexão cristológica – verificável, por exemplo, nas duas cartas aos Tessalonicenses -, Paulo sublinha, segundo parece, com particular insistência a espera do Senhor. Paulo retoma a essência da identidade cristã situando-a em volta de quatro indicações: converter-se a Deus, afastar-se dos ídolos, servir o Deus verdadeiro, esperar a nova vinda de Jesus. «Que Ele confirme os vossos corações, e vos torne irrepreensíveis e santos na presença de Deus, nosso Pai, por ocasião da vinda de nosso Senhor Jesus com todos os seus santos!». Como se vê, o encontro com Cristo glorioso é o tema mais lato da esperança cristã. O quadro fica mais completo, relativamente a 2,19: há aqui a menção a Deus Pai, juntamente com a menção à assembleia e ao cortejo dos santos. Isto leva-nos a pensar na última vinda, na qual, como poderá ler-se também em Mateus 25,31-46, será premiado ou castigado o modo de agir dos homens, particularmente o dos cristãos.

O Natal dos primeiros cristãos, segundo os Padres da Igreja | IMAGENS |
«Preparemo-nos pois, irmãos, para acolher o natal do Senhor, adornemo-nos com vestes puras e elegantes! Falo, claro está, das vestes da alma, não do corpo… Adornemo-nos não com seda, mas com obras boas! Pois as vestes elegantes ornam o corpo, mas não podem adornar a consciência; pois seria muito vergonhoso trazer sob elegantes vestes elegantes, uma consciência contaminada. Procuremos acima de tudo embelezar os nossos afetos íntimos, e poderemos então vestir belas roupas; lavemos as manchas da alma para usarmos dignamente roupas elegantes!»

Mais de um milhão de seguidores esperaram pelas primeiras palavras enviadas da conta oficial do Bento XVI no Twitter
Mais de um milhão de pessoas registaram-se na conta oficial de Bento XVI no Twitter, que o próprio papa inaugurou esta quarta-feira com o toque de um dedo no ecrã táctil de um “tablet”. «Queridos amigos, é com alegria que entro em contacto convosco via twitter. Obrigado pela resposta generosa. De coração vos abençoo a todos» foram as primeiras palavras em português, uma das oito línguas usadas nesta plataforma. Seguiram-se três perguntas e três respostas, totalizando sete “tweets” no primeiro dia.

Diretor da Pastoral da Cultura participa em debate em Montemor-o-Novo e comenta cantos de Natal em Lisboa | VÍDEO |
O diretor do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, padre Tolentino Mendonça, é um dos convidados do último encontro do ciclo “Sinais de Fumo – Conversas para além da crise”, que se realizou mensalmente em Montemor-o-Novo desde fevereiro. O poeta e biblista integra uma reflexão sobre “Indivíduo e Alteridade – O luto social perante a crise”, em que também intervêm Vasco Santos e Ana Duarte Silva, com moderação de Carlos Vaz Marques. No domingo o padre Tolentino Mendonça participa na iniciativa “Cantos da Natividade – A mística do Sul”, agendada para as 17h00 na igreja de Santa Isabel, em Lisboa.

“O Hobbit – Uma viagem inesperada”: a defesa do Bem por heróis que de pequenos se fazem grandes | IMAGENS + VÍDEO |
Passam nove anos desde que a trilogia “Senhor dos Anéis” estreou o último episódio em Portugal. A obra do escritor sul africano John Ronald Reuel Tolkien, que apaixona gerações desde a década de 50, conquistou uma vasta quantidade de público e de crítica graças à adaptação cinematográfica dirigida por um mestre do cinema fantástico, Peter Jackson, e a sua equipa. Sobejamente aguardado, chega agora às salas de cinema o primeiro de três novos episódios da obra que justificou a reunião da irmandade do anel: “O Hobbit”, publicado em 1937. Visto em 3D, “O Hobbit – Uma Viagem Inesperada” é um entusiasmante regresso ao espírito venturoso de Tolkien e à sobeja riqueza simbólica das suas criações, onde o Bem e o Mal se confrontam num combate protagonizado não por heróis com super poderes, nem pelo recurso à magia, mas por gente que de pequena, simples e humilde se faz grande: desacomodando-se pela defesa do Bem, não em causa própria mas comum – o direito de outro povo à sua terra.

— Agenda para hoje —

Lançamento do livro “A Palavra para os Homens”, coletânea de textos do padre João Resina
O livro “A Palavra para os Homens”, coletânea de textos do padre João Resina (1930-2010) publicada pela Paulus Editora, vai ser apresentado no dia 13 de dezembro na paróquia do Campo Grande, em Lisboa, onde foi coadjutor. «A atenção constante ao mundo foi paradigma de toda a sua vida. Era um homem do mundo, um engenheiro químico, que se apaixonara pelo sacerdócio, mas que não deixara de estar no mundo, para com a sua reflexão e ação trazer a todos os acontecimentos a luz do Evangelho. Por isso ajudou a formar inúmeros cristãos, hoje pessoas responsáveis na cultura, na economia, na vida pública, na ação social. Formar cristãos, para atuarem como cristãos no mundo, foi esse o objetivo, sempre, que ele se exigia na orientação das consciências. (…) Sacerdote exemplar, homem de fé e de cultura, com um apaixonado amor a Jesus Cristo e uma grande devoção à Igreja, que não deixou de reconhecer santa e pecadora, o padre João não foi uma luz que se apagou, mas é uma presença que continua viva.»

Anúncios