É novo » 11.12.2012

Leitura: Investigação multidisciplinar analisa “Identidades religiosas em Portugal”
As ciências sociais da religião mostraram, ao longo das últimas duas décadas, que a religião continua na agenda social, não deixando de estar presente na construção do espaço público, segundo modalidades diversas, no contexto das múltiplas modernidades. Esta nova atenção pública facilitou a proliferação dos discursos acerca do “regresso” da religião, como antes se propagaram os vaticínios acerca da sua obsolescência. A implementação dos estudos sobre as identidades religiosas na sociedade portuguesa poderá contribuir, por um lado, para cultivar, no espaço público, uma racionalidade aberta à crítica das práticas sociais com origem nas tradições e comunidades religiosas, por outro, poderá estimular as comunidades de pertença religiosa na procura de tradução da sua singularidade numa cidadania partilhada, assumindo o risco de uma palavra pública.

Confissão do homem interior que leva à humildade
Esforça-te o mais que puderes na iluminação espiritual, alcança-a através da dedicação à Palavra de Deus, nos ensinamentos dos Santos Padres, na análise dos conselhos espirituais ou em conversas com eruditos em Cristo. Querido irmão, quantas desgraças encontramos por termos preguiça de iluminar a nossa alma pela palavra da verdade, por não nos instruirmos na Lei do Senhor, dia e noite, e não orarmos aplicadamente e com insistência! Por isso, o homem é frio, caprichoso e pobre, sem força para a caminhada decisiva, para, através da verdade, atingir a salvação. Rezaremos com frequência, pois a oração é o meio mais importante e mais forte para a nossa renovação e progressão. Rezaremos, como nos ensina a Santa Igreja: «Senhor, ensina-me a amar-te, como em tempos amei o pecado!»

Padre Tolentino Mendonça: «Vivo da partilha dos outros. É uma vida pobre? É. É uma vida riquíssima? É. Sou assim»
«A experiência religiosa é uma experiência de relação, de procura. Às vezes é uma experiência fusional — sentimo-nos dentro do mistério. Outras vezes, porventura a maior parte das vezes, é uma experiência de interrogação, de deserto. Por vezes crucificante. Um permanecer apesar de. Ou contra o silêncio. Essa é a experiência da fé. E essa é também a experiência poética, de comunhão, tão profunda que parece que nos funde com a própria realidade. O mundo torna-se experiência. Ao mesmo tempo, nada é fácil para o poeta. Nada lhe é dado. Ele tem de fazer aquele caminho de pedras, de pergunta em pergunta, afinando, na dificuldade, os instrumentos da sua audição. O poema dá a ouvir o inaudível, e nisso ajuda-me na experiência religiosa. Diz, procura dizer, dá a ficção do dizer o indizível.» Entrevista a Anabela Mota Ribeiro.

— Agenda para hoje —

Nuno Teotónio Pereira, Nuno Portas e outros fundadores do Movimento de Renovação de Arte Religiosa reencontram-se para conferência e debate
O arquiteto Nuno Teotónio Pereira, a quem a Igreja Católica em Portugal atribuiu em 2012, por meio do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, o Prémio Árvore da Vida – Padre Manuel Antunes, é um dos intervenientes de uma conferência sobre o Movimento de Renovação da Arte Religiosa (MRAR) que vai decorrer em Lisboa. No encontro marcado para 11 de dezembro, às 18h00, na Casa-Museu Medeiros e Almeida, intervêm também os arquitetos Nuno Portas, Diogo Lino Pimentel, António Freitas Leal, Luiz Cunha e João de Almeida, bem como o pintor Eduardo Nery. «Tenho muita expetativa que seja uma ocasião de celebração do que aconteceu, mas também o lançamento de uma possibilidade de abertura e transmissão do ânimo e da experiência de um conjunto de pessoas que, ao tempo, arrancaram cheios de dinâmica e coragem», afirmou o arquiteto João Alves da Cunha.

Anúncios