É novo » 2.12.2012

Para rezar enquanto se constrói o presépio
Enganam-se os que pensam que só nascemos uma vez. / Para quem quiser ver a vida está cheia de nascimentos. / Nascemos muitas vezes ao longo da infância / quando os olhos se abrem em espanto e alegria.

Frei Hermano da Câmara recorda êxitos musicais com concertos em Lisboa, antes de editar novo disco
Frei Hermano da Câmara vai passar em revista uma carreira que começou no final da década de 1950 nos dois concertos previstos para segunda e terça-feira no Teatro Tivoli BBVA, em Lisboa. O religioso tinha apenas previsto um espetáculo, na terça-feira, mas, por se ter esgotado, foi agendado outro, um dia antes, na segunda-feira. Em 1961 gravou o “Fado da Despedida”, um dos temas que integra o alinhamento dos dois espetáculos. Neste fado, com letra de Adelaide Vilar e música própria, Hermano da Câmara anunciava que se entregara a Cristo e garantia: “Nunca mais me senti só”. Para espanto dos meios de comunicação da época, o fadista, em plena ascensão de carreira, decidiu entrar no mosteiro beneditino de Singeverga.

Anúncios