É novo » 29.11.2012

A importância do agora: os desafios de um cristianismo sapiencial (3) | VÍDEO |
Enquanto Deus olha para cada criatura em si, na sua integridade e beleza, a narrativa da primeira transgressão relatada no Génesis coloca a mulher, induzida pela serpente, a olhar cada coisa a partir da necessidade e do desejo. A bondade já não depende da coisa em si mas das paixões e carências. É então que eu passo a ser o critério da bondade do outro; e em vez de cantar a marca de Absoluto que existe na outro, eu é que digo o que é bom e útil. Quando isto acontece o mundo deixa de se ver. É como se a realidade ficasse escondida. Ao contrário do que diz a serpente, o olhar de Adão e Eva não se abre mas afunila-se ao deixar de ver as coisas no ser, passando a vê-las a partir da perspetiva do ter e da utilidade imediata. Este é também o drama do nosso olhar.

Qual é o preço da dignidade humana?
Eu teria preferido escrever sobre outro assunto nesta semana, mas o leilão da virgindade de uma jovem brasileira, amplamente divulgado pela imprensa, requer uma reflexão. É um facto chocante e, ao mesmo tempo, parece tão banal que, talvez, só chamou a atenção porque o leilão aconteceu de maneira aberta, pela internet, e porque o valor da licitação foi alto. Sem nos darmos conta, estamos a assimilar uma cultura do mercado, na qual o factor económico passou a ser o referencial maior: de uma cultura de valores éticos e morais, para uma cultura do valor económico; o bem maior parece ser a vantagem económica, que tudo permite e legitima, amolecendo qualquer resistência do senso moral. Tudo fica justificado se há vantagem económica. Onde vamos parar?

Bispo do Porto apresenta três primeiros volumes da coleção “Santos e Milagres da Idade Média Portuguesa”
O bispo do Porto e historiador D. Manuel Clemente vai apresentar os primeiros três volumes da coleção “Santos e Milagres da Idade Média Portuguesa”, recentemente publicada pelo Centro de Estudos Clássicos da Universidade de Lisboa. Trata-se de uma coletânea em 12 volumes onde se reúnem os textos matriciais mais antigos sobre alguns dos mártires e santos com culto muito alargado na antiguidade tardia e na alta Idade Média, no território que viria mais tarde a ser Portugal. São santos e mártires com uma tradição textual hispânica anterior ao século XII, com culto em território português em tempos da pré-nacionalidade, cuja escolha obedeceu a critérios que conjugam os interesses filológicos e académicos do Centro de Estudos Clássicos e o interesse do grande público.

“Para um altar”: José Rodrigues expõe no Porto e revista “Humanística e Teologia” dedica-lhe número especial
São peças em bronze e madeira, datadas de 1999, que têm Cristo como principal protagonista. Tratam-se de obras semelhantes às que o escultor criou ao longo dos anos, que repousam em muitos altares de igrejas, catedrais e mosteiros de Norte a Sul do país. Na inauguração foi apresentado o número especial da “Humanística e Teologia”, revista da Faculdade de Teologia da Universidade Católica (Porto), dedicada ao tema “José Rodrigues – A Bíblia e a Arte Sacra”

Anúncios