É novo » 29.2.2012

Jornadas “Cultura e Identidade” vão ser a primeira atividade da Pastoral da Cultura da diocese do Algarve
O Setor da Pastoral da Cultura da diocese do Algarve vai realizar em maio as jornadas “Cultura e Identidade”, que constituem a primeira atividade do departamento instituído em agosto de 2011 pelo bispo local, D. Manuel Quintas. O diretor do departamento, padre Carlos Aquino, revelou que o encontro, a realizar em Tavira, inclui a exibição de um filme, a inauguração de uma exposição e “workshops” com figuras públicas portuguesas ligadas ao Algarve, como Lídia Jorge e Guilherme d’Oliveira Martins.

Da Quaresma à Páscoa (8): Redescobrir a oração
A oração tem propriedades para qualificar a vida pessoal, familiar, social e comunitária. Muitos podem desconhecer, mas a oração pode ser um laço irrenunciável com o compromisso ético. É prática dos devotos, mas também um estímulo à cidadania. Ao contrário de ser fuga das dificuldades, é clarividência e sabedoria, tão necessários no enfrentamento dos problemas. Na verdade, a oração faz brotar uma fonte interior de decisões, baseadas em valores com força qualitativa. A oração é caminho singular. É, pois, indispensável aprender a orar e cultivar a disciplina diária da oração. Tratar-se de um caminhar em direção às raízes e ao essencial. Nesse caminho está um remédio indispensável para o mundo atual, que proporciona mais fraternidade e experiências de solidariedade.

Investigação: 1.ª República Portuguesa e Igreja Católica
Importava retomar a “alma” portuguesa na sua conotação religiosa e católica, mesmo na aplicação social que o pontificado de Leão XIII (1878-1903) lhe dera, ou, muito pelo contrário, havia de se afastar de vez tal conotação, em obediência à marcha “positivista” da história, que reduzia cada vez mais a religião ao íntimo da consciência de cada um, sem qualquer transposição pública da crença? E quanto ao Estado, na sua relação com a Igreja: – Devia continuar-se em regime público-eclesiástico, com a definição religiosa do país e a quase integração da vida eclesial na administração civil, ou, como o liberalismo católico pretendia desde os anos vinte em França e depois pela Europa e além dela, era necessário “libertar” a Igreja da tutela estatal, mesmo que tal levasse à “separação” das duas esferas.

Roteiro da exposição “São Teotónio: Patrono da diocese e da cidade de Viseu” | IMAGENS |
A exposição “São Teotónio: Patrono da Diocese e da Cidade de Viseu (1162-2012)”, patente no Museu Grão Vasco e na sé viseense, evoca os 850 anos da morte do primeiro santo português. S. Teotónio é figura importante na criação do reino de Portugal e na consolidação da espiritualidade dos Cónegos Regrantes, visível ainda hoje no património material e cultural legado pela ordem religiosa que teve o seu epicentro no mosteiro de Santa Cruz, em Coimbra. O percurso expositivo é orientado pelo texto “Vita beatissimi domni Theotonii”, escrita por um discípulo anónimo do religioso minhoto logo após a sua morte.

Observatório do Cinema Espiritual criado em Barcelona
O Observatório do Cinema Espiritual, recentemente criado na cidade espanhola de Barcelona, pretende estar atento às iniciativas internacionais nessa área e quer apostar na sensibilização dos católicos para o tema. «Queremos que o Observatório se converta em espaço de reflexão e formação em torno da Sétima Arte e das suas amplas possibilidades», explicou o padre Peio Sánchez Rodriguez. A criação do Observatório visa também coordenar as mais de 50 iniciativas que em todo o mundo promovem mostras de cinema espiritual.

Colóquio debate relação da Igreja com a cultura na sequência do Concílio Vaticano II
A relação entre a Igreja e a cultura na sequência do Concílio Vaticano II (1962-1965) é o tema do encontro que vai reunir o bispo do Porto, D. Manuel Clemente, e o jornalista especialista em assuntos de religião António Marujo.

Anúncios