É novo » 30.11.2011

Apresentação da obra “Elites católicas em Portugal: o papel da Ação Católica (1940-1961)”
O Centro de Estudos de História Religiosa da Universidade Católica Portuguesa promove a apresentação pública da obra de Paulo Fontes. O volume de 1033 páginas e um CD editado pela Fundação Calouste Gulbenkian e Fundação para a Ciência e Tecnologia é prefaciado pelo reitor daquela universidade, que destaca o «decisivo e novo contributo» do trabalho para o estudo da Ação Católica «não só na Igreja mas também na sociedade portuguesa», vista no seu «impacte» social e não como objeto de uma «história institucional».

Universidade Católica assinala 300 anos do nascimento de David Hume
A Universidade Católica Portuguesa organiza um colóquio para assinalar os 300 anos do nascimento de David Hume (1711-1776), com conferências que se centram na relação do filósofo escocês com a religião e a crença. A iniciativa tem como objetivos principais o estudo e a compreensão crítica da obra do pensador escocês, através da discussão do seu lugar na História da Filosofia e do debate acerca da pertinência filosófica do seu legado.

Museu do Oriente propõe curso sobre os dois primeiros livros da Bíblia
O Museu do Oriente vai realizar o curso “A Bíblia Hebraica: leituras”, dirigido por António Franco Alexandre, poeta e professor da Faculdade de Filosofia da Universidade de Lisboa. Os encontros serão organizados «em torno de pequenos extratos dos dois primeiros livros da Bíblia (Génese, Êxodo) procurando interessar tanto quem pela primeira vez aborde a leitura bíblica, quanto os participantes no curso anterior, realizado em 2010».

Pintura: Abel Salazar | VÍDEO |
Abel Salazar (1889-1946), formado em medicina, é reconhecido como um dos mais notáveis cientistas portugueses, tendo sido professor catedrático de Histologia e Embriologia na Universidade do Porto. Dedicou-se à pintura, gravura, desenho e crítica de arte. A sua pintura, de temática urbana e rural, saída do naturalismo, vai fixar-se numa iconografia de crítica social, com especial incidência na problemática da mulher trabalhadora.

O maior museu do mundo está num livro de sete kg, 2700 imagens e mil páginas | IMAGENS |
A Phaidon lançou recentemente o livro “The Art Museum”, sete quilos, 2700 imagens e 992 páginas que o tornam, segundo a editora, «na mais visualmente espetacular história da arte do mundo alguma vez publicada». A obra, organizada por galerias, salas e corredores, como num museu, mostra «centenas de pinturas, esculturas, frescos, fotografias, tapeçarias, instalações, performances, cerâmicas e manuscritos, entre outros géneros de expressão artística.

O poeta, sensível e até mais sensível que os outros homens, imolou o coração à palavra

É novo » 29.11.2011

Teatro: “Barioná”, o Natal segundo Jean-Paul Sartre | VÍDEO |
Em 1940 Jean-Paul Sartre escreveu a sua primeira peça de Natal, num campo de prisioneiros alemão. Encenou-a, dirigiu a construção dos figurinos e representou o papel de um dos personagens centrais. Para incluir o maior número possível de reclusos, Sartre criou uma dramatização de três horas e meia, envolvendo 60 pessoas e após as representações impediu, durante décadas, a passagem para a escrita deste mistério de Natal. O encenador, Júlio Martín, explica em entrevista ao Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura as origens da peça e o envolvimento do filósofo francês, num vídeo que inclui um excerto do ensaio.

Revelar-Te: ciclo de cinema católico | VÍDEO |
A iniciativa pretende propor o cinema como «Arte capaz de rondar o Mistério e de o revelar», oferecendo à cidade’ um «sinal de laicidade positiva, quer dizer de convívio inteligente e disponível perante a presença dos cristãos na cidade». “Duns Scoto” (inédito em Portugal), “Monsieur Vincent”, “A festa de Babette” e “Shadowlands” são os filmes em cartaz, que após a exibição serão objeto de diálogo entre o público e uma personalidade convidada.

Cinema: A pele onde eu vivo | VÍDEO + IMAGENS |
Vinte e três anos depois de “Mulheres à beira de um ataque de nervos” e depois de “Ata-me” (1990), Antonio Banderas é de novo o protagonista de Pedro Almodóvar para um filme com algumas reminiscências dos registos anteriores, como o universo dos comportamentos psicologicamente desviantes que o filme habita. O realizador espanhol regressa aos seus temas e inquietações habituais, que explora de forma perturbante: o conflito de identidade, a este ligando a questão da sexualidade, a manipulação psicológica, a morte, e a influência da perda de um ente querido no desvio comportamental.

Exposição: Gaudí e a Sagrada Família de Barcelona. Arte, ciência e espiritualidade | IMAGENS |
A iniciativa pretende narrar a história da igreja que em novembro de 2010 foi declarada Basílica Menor por Bento XVI e explicar as próximas etapas de construção. Na conferência de imprensa de apresentação do evento, o arcebispo de Barcelona, cardeal Lluís Martinez Sistach, referiu-se ao «Servo de Deus Antoni Gaudí» como «arquiteto genial, cristão exemplar e catalão sempre mais universal, cuja causa de canonização está depositada na Congregação da Causa dos Santos».

Exposição: A perspetiva das coisas. A natureza-morta na Europa | VÍDEOS + IMAGENS |
A natureza-morta foi, no final do século XIX, tema que interessou de sobremaneira os pintores Pós-Impressionistas como Cézanne, Van Gogh e Gauguin, que estarão representados através de obras de referência. A exposição demonstrará como a natureza-morta, enquanto género pictórico, se transformou em veículo de uma experimentação ainda mais radical com Picasso, Braque e Matisse. Poder-se-á entender como permitiu a alguns artistas um olhar reflexivo sobre a sociedade contemporânea, enquanto outros se envolveram nas novas realidades da experiência subjetiva, como é o caso de Magritte e Dalí.

É novo > 27.11.2011

A espera do Advento
Podemos viver este tempo de Advento como oportunidade para recuperar a nossa capacidade de esperar. Esperar Deus que vem ao nosso encontro. Preparar o coração e permitir que esta espera silenciosa o aqueça interiormente. Deus vem ao encontro do coração de cada um para nele se deixar acolher. Aconchegar-se na simplicidade e na fragilidade do nosso ser. Podemos fazer do coração humano a manjedoura onde o Emanuel habita. E sairmos desse encontro habitados pelo mistério.

Palavras e imagens para os dias de Advento [ Arquivo ] [ IMAGENS SLIDE SHOW ]

É novo » 26.11.2011

Arte Lisboa 2011, uma janela para a arte contemporânea | VÍDEO |
A Arte Lisboa, «única feira de arte contemporânea em Portugal», decorre até domingo no Parque das Nações, reunindo 32 galerias nacionais e espanholas, menos nove que em 2010 e menos 35 que em 2009, segundo a “Visão”, números que não tiram o otimismo ao presidente da Associação Portuguesa de Galerias de Arte. O Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura esteve na abertura e oferece-lhe imagens desta janela para a arte contemporânea.

É novo » 25.11.2011

A relação da Igreja com a cultura – criar, manter repensar: Depoimento de D. João Lavrador
«Ao longo da história do cristianismo, a Igreja reconhece a necessidade de dialogar com as correntes de pensamento, com os modos de ser e de agir dos diversos povos, e de conhecer profundamente a alma humana, para realizar com eficácia a sua missão de ser fermento de uma nova humanidade. Eis a proposta permanente da encarnação do Evangelho na sociedade de cada tempo.» Depoimento de D. João Lavrador, bispo auxiliar do Porto e vogal da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais.

É novo » 24.11.2011

Dois poemas inéditos de Ruy Cinatti | IMAGENS |
«Meu o testamento / o que possuo na memória de outros / que me transcenderam / e o que me custou a declarar / a quem – cerrados dentes – / tinha horizontes, / ilhas por cartografar / e sendo um dos poucos neste mundo / digno do seu nome, / não lamentarei, / antes lhe calçarei sandálias de ouro, / minhas calças por provar ainda.» Acompanhados por fotografias inéditas do poeta.

Recordar Ruy Cinatti | IMAGENS |
Completaram-se a 12 de outubro 25 anos da morte do poeta Ruy Cinatti. A sua visão surpreende ainda pela ousadia e actualidade. Com uma intuição de inspiração evangélica, e evocando a perspectiva ecuménica dum S. Justino – que pressupunha a existência de vestígios de Deus para lá das fronteiras do povo eleito e da Igreja -, o poeta coloca o dedo na ferida das sociedades contemporâneas ao eleger para questão fulcral da sua constituição a necessidade de se tornarem comunidades abertas e plurais, capazes de articular um sentido ético com a tolerância, e ambos com um desenvolvimento assente nos avanços das ciências e das técnicas. Excertos da tese de doutoramento do padre Peter Stilwell sobre o poeta, acompanhadas por fotografias tiradas por Ruy Cinatti em Timor.

Exposição: Plegaria muda, a oração muda de Doris Salcedo | IMAGENS |
«O artista não tem liberdade. Isso é um mito. Há coisas que tenho de que me são impostas pela realidade. Quando se vive na Colômbia, tem de se fazer certas coisas: não tenho qualquer liberdade, porque os factos são tão contundentes que tenho de enfrentá-los. Como ser humano, sou responsável pelo que acontece à minha volta. E a única maneira que conheço para me confrontar com essa realidade é a escultura.»

Pintura: Aurélia de Souza | VÍDEO |
Aurélia de Souza nasceu na década de 60 do século XIX, tendo sido uma das últimas pintoras enquadrada no movimento do Naturalismo. A sua geração formou-se das academias de belas-artes do Porto e Lisboa. A casa onde viveu foi fonte de inspiração para muitas das suas obras. O interesse da captação dos efeitos de luz é visível nas várias perspetivas sobre o rio Douro, feitas a diferentes horas do dia e épocas do ano.

É novo » 23.11.2011

Cântico dos Cânticos: O homem tal qual ele é diante da mulher tal qual ela é
O Cântico dos Cânticos: dois amantes que se buscam, que se olham, se contemplam. Só se lembram do amor e se esquecem do amor. Em tudo procuram o amor e em tudo o evitam. Têm receio de abrir a porta de casa ao amor e ousadia para enfrentar, em nome dele, as austeras sentinelas que vigiam a cidade, quando e noite. Tem receio dos mil lugares onde o amor assoma, mas em mil lugares o buscam, se, por uma hesitação ou um silêncio, dele se perdem. Escondem-se e reencontram-se. Incessante deslocação de corpos. De desejos. Como num jogo.

Natal com menos… Natal melhor | IMAGENS |
Se calhar, a maior conquista do tempo do medo que passa, foi precisamente esta de nos ter tirado a capacidade de ousar levantar a cabeça, de ousar olhar para além do imediato do já, em direção ao menos “imediato” do ainda não, mas que está e vive em tensão de devir, de futuro, de projeção para diante, num diante que encontra a utopia e faz dela o sonho, um sonho que vence o medo, um sonho que se abre à luz. Por isso hoje é tempo de Natal com menos, mas um Natal melhor!

Leitura encenada do Cântico dos Cânticos | IMAGENS |
Ao colorido vegetal, à profusão de perfumes e às imagens sensuais desencadeadas pelas palavras do “Cântico dos Cânticos” associa-se a interpretação ao vivo de música antiga, colocada ao serviço deste texto tão humano – e, por isso, tão sagrado», numa versão traduzida pelo padre e poeta José Tolentino Mendonça. «O Cântico dos Cânticos estará certamente longe de ser esquecido; é impossível a quem o lê não regressar a ele e não o partilhar. Este é um dos mais belos poemas de amor já escritos. Espero que sintam o mesmo que eu ao lê-lo e ouvi-lo», escreve o encenador, Pedro Estorninho.

Pintura: Francisco José Resende e Marques de Oliveira | VÍDEO |
O século XIX foi marcado em Portugal pelo Romantismo e Naturalismo. Um dos mais notáveis representantes do primeiro, no Porto, foi Francisco José Resende. Por seu lado Marques de Oliveira, a par de Silva Porto, é tido como introdutor da segunda tendência.

Tu és a Igreja | VÍDEO |