É novo » 30.6.2011

O elogio da Fraternidade por Manuel Carvalho da Silva | VÍDEO |
«Temos de ir ao debate de conceitos profundamente manipulados. E aí, os valores que a fraternidade e a solidariedade nos trazem são ancoradouros muito importantes. Temos que questionar o que é hoje o conceito de adaptação, modernidade, desenvolvimento, conservação, mobilidade e flexibilidade.» Excertos da intervenção do secretário-geral da central sindical CGTP-IN na mesa-redonda “O elogio da Fraternidade”, durante a 7.ª Jornada da Pastoral da Cultura.

«Eu só acreditaria num Deus que dançasse», disse Nietzsche. Tolentino Mendonça responde com “Um Deus que dança” | VÍDEO |
«O título corresponde a uma provocação» porque os crentes fazem a experiência de Deus que «corre o risco da contingência e da história, e nesse sentido Deus dança», refere o poeta e biblista. As ilustrações do padre João Norton, que acompanham o volume, têm como propósito «repousar o olhar». A apresentação decorreu em Lisboa, no espaço da Companhia Olga Roriz, coreógrafa para quem a dança é também uma expressão orante: «Fazemos das nossas palavras silêncios, e dos silêncios gestos».

Exposição: “Isto é o meu Corpo” | VÍDEO |
«Desde cedo surgiu a necessidade de ver a hóstia. Daí terem surgido objetos ligados ao culto eucarístico que têm a ver com a guarda, reserva, e ostentação da espécie eucarística», explica o diretor do Centro Cultural do Patriarcado de Lisboa, que organiza a mostra. Para o padre António Pedro Boto de Oliveira, a arte litúrgica ajuda a «ler» e «perceber» as celebrações, suscitando um «olhar mais atento» sobre os mistérios que elas evocam e tornam presente.

Cristianismo e música: Tomás Luis de Victoria | VÍDEOS |
Sobre Tomás Luís de Victoria escreveu o padre Otaño que a sua inspiração «é antes de tudo religiosa, católica por todos os poros; de um misticismo infinitamente mais concentrado e luminoso que o de Palestrina, parecido com o de São João da Cruz, nas estilizações do seu pensamento transfigurado». Recebeu sólida formação musical sob vários maestros, entre eles, muito provavelmente, Cassimiri e Giovanni Pierluigi da Palestrina.

Anúncios

É novo » 29.6.2011

Lídia Jorge: Que sabe a cultura acerca da Fraternidade? | VÍDEO |
«Avaliar nos dias que correm quanto a cultura sabe sobre a fraternidade implica estar atento às metáforas que os contemporâneos criam e estimar a forma como agem, por antítese, sobre aqueles que a elas têm acesso.» «Dentro de nós, tal como os textos mostram, existe um ser que se constrói para o amor. Eu mergulho as mãos nos textos e encontro esse recado por toda a parte.»

A estrada da confiança
Ensina-nos a devolver a todos os Teus filhos e a todas as criaturas a extraordinária Bondade com que nos amas. Não permitas que o nosso espírito se feche no medo ou no ressentimento: ensina-nos que é possível olhar a noite não para dizer que pesa em todo o lugar o escuro, mas que a qualquer momento uma Luz se levantará.

Vaticano anuncia descoberta de fresco de S. Paulo pintado no século VI
Em texto publicado na edição de 29 de junho do jornal L’Osservatore Romano, o presidente da Comissão Pontifícia da Arqueologia Sacra, o cardeal italiano Gianfranco Ravasi, refere que o fresco, encontrado após a restauração de um nicho fúnebre, “é um dos mais intensos da antiguidade tardia, antes de o Apóstolo se tornar um ícone da civilização Bizantina”.

Mosteiro de Tibães evoca S. Bento com música, liturgia e cinema
As oito atividades culturais e religiosas, que resultam de uma parceria com a paróquia de Mire de Tibães e a Direção Regional de Cultura do Norte, visam evocar a memória e atualidade de um dos santos padroeiros da Europa, festejado liturgicamente a 11 de julho.

É novo » 28.6.2011

Programa da homenagem dos artistas a Bento XVI pelos 60 anos de ordenação sacerdotal
O papa vai chegar pelas 11h00 locais (menos uma em Portugal continental) à sala Paulo VI, onde apenas será permitido o acesso aos artistas convidados, entre os quais o padre José Tolentino Mendonça, que apresentará um poema. A sessão inclui a audição de uma obra do compositor estónio Arvo Pärt e a exibição de uma curta-metragem do realizador, produtor e argumentista italiano Pupi Avati.

Cinema: O atalho | VÍDEO |
O mais surpreendente neste filme, além da riqueza do texto, do hábil uso da câmara e de uma gestão narrativa irrepreensível, é a atmosfera intimista que Kelly Reichardt (“Wendy e Lucy”) consegue criar, levando-nos perscrutar aquilo que apenas costumamos olhar, mesmo sem bons nem maus, de forma espetacular, quase só visual.

É novo » 27.6.2011

Aprender a negociar
Ninguém sabe, realmente, o que é uma mulher, o que é um homem, o que é uma árvore, o que é uma palavra, o que é um silêncio… E se aceitamos que não sabemos, temos que tirar daí uma ilação: a urgência de trocar o nosso conhecimento muito assertivo pela negociação. Em vez de acharmos que já conhecemos, dizermos: – não, eu não conheço, eu ainda não sei o que é. Então como nos podemos avizinhar uns dos outros? Negociando.

É novo » 22.6.2011

José Mattoso: Sabedoria e Fraternidade | VÍDEO |
«O sábio cristão sabe esperar. Não tem pressa. Para ele não há absoluto, tudo é relativo. Um sorriso pode ser mais importante do que a fundação de uma dinastia. Acredita no valor e na eficácia dos símbolos. Não pronuncia sentenças nem faz discursos. O seu espaço é o silêncio.» Excertos da intervenção do historiador José Mattoso na conferência “Sabedoria e Fraternidade”, proferida na 7.ª Jornada da Pastoral da Cultura.

José Tolentino Mendonça é um dos 60 artistas convidados para os 60 anos de ordenação sacerdotal de Bento XVI
O presidente do Conselho Pontifício da Cultura, o cardeal italiano Gianfranco Ravasi, organizou uma homenagem ao papa por parte de 60 personalidades de «nível internacional e pertencentes às diversas categorias artísticas», como a «pintura, escultura, fotografia, literatura e poesia, música, cinema, ourivesaria», refere uma nota de imprensa daquele dicastério da Santa Sé.

Assunção Cristas: Ser católica na política [arquivo]
Na política, como na Faculdade ou na advocacia ou em qualquer lado, para mim ser católica é procurar sempre pôr a render ao serviço dos outros os talentos que Deus me deu e através desse serviço, desse acolhimento, dessa atenção e preocupação, sentir o Seu perfume e viver o Seu amor.

“Cerro negro”, “Hidden life”, “Viento sur”: três curtas, três culturas
João Salaviza que, com “Arena”, conquistou em 2009 a Palma de Ouro da Curta-metragem no Festival de Cannes, realizou agora “Cerro Negro”, um filme sombrio que nos transporta em duas rotinas distintas, paralelas, que acabam por ter pontos comuns na insuficiência de meios de vida e na tristeza. Mulher e filho têm a rotina de casa e visita à prisão. Nesta o marido cumpre pena em condições humilhantes, ignorando quando lhe será dada, ao menos, a liberdade condicional.

Cursos de verão em Aveiro
Educação e sexualidade, música e liturgia, Bíblia e Génesis, cristianismo e político: quatro pares de temas que compõem os quatro cursos de verão que o Instituto Superior de Ciências Religiosas de Aveiro (ISCRA) vai realizar em julho.

É novo » 21.6.2011

Igreja Católica espera que cultura tenha nova abordagem e não seja menorizada pelo Governo
«O que nós esperamos deste Governo é o que esperamos de todos: que compreendam a importância da cultura e a necessidade de fazer dela um lugar de encontro, de produção artística, de debate», sublinhou o diretor do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura.

Universidade Católica reforça formação teológica pela internet
As aulas presenciais dos três anos da licenciatura em Ciências Religiosas, organizada pela Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa, vão passar a estar concentradas em dois dias por semana A centralização deve-se à adoção do “b-learning”, método de transmissão de conteúdos que une a formação pela internet às tradicionais aulas presenciais, que continuam a ser ministradas em horário pós-laboral.

Graça Morais | VÍDEOS |
Em 1956 parte para Moçambique onde, segundo a própria, fez as primeiras amigas e o pai lhe deu a primeira caixa de aguarelas. Mas dada a resistência de sua mãe ao clima moçambicano voltou para Vieiro em 1958, e no ano seguinte passou a frequentar o colégio de Vila Flor. No ano de 1961 ingressou no liceu de Bragança, onde continua a crescer o seu gosto e dedicação à pintura. Em 1963 com 15 anos, dedica-se à pintura a óleo mas ainda ao nível da imitação. É nessa altura que passa a pertencer à Juventude Estudantil Católica (JEC).

É novo » 20.6.2011

Nós também somos de lá
Gostei muito da forma como o escultor Rui Chafes começou, há tempos, uma sua conferência na Faculdade de Letras, surpreendendo os ouvintes que lá estavam: «Nasci em 1266, numa pequena aldeia, que já não existe, na Francónia, na Baviera», disse ele. Na verdade, Chafes nasceu em Lisboa, no ano de 1966. Mas é só isso a verdade? Todos nós somos o resultado imprevisível de um caminho que outros começaram muito lá para trás e que outros continuarão depois de nós. As fronteiras são linhas aproximativas e móveis.